5 dias em Buenos Aires para sair da rotina – Dica do leitor

Trabalhar demais cansa, né? O Ruan estava precisando de uma folga e decidiu passar 5 dias em Buenos Aires para sair da rotina. E seu relato é a prova que a chuva e o frio não são capazes de estragar a sua viagem! Pelo contrário, esse tempo é uma ótima desculpa para apreciar um belo vinho.

Se você está planejando uma viagem para Buenos Aires, vale a pena conferir o Guia Básico: 4 dias em Buenos Aires, nele você encontra um roteiro fechadinho com quatro dias cheios de atrações turísticas e diversas opções de restaurantes. Mas se você quer sair da mesmice no quesito pontos turísticos portenhos, você precisa do Guia Lado B dos pontos turísticos de Buenos Aires.

5 dias em Buenos Aires para sair da rotina – Dica do leitor

dica_do_leitor_4

O Aires Buenos pediu, então estou escrevendo um pouco da minha experiência em Buenos Aires. Na verdade eu já tinha pensado em escrever, mas estava demorando e logo mais vai fazer um ano da minha viagem, então aqui estou eu!

Enfim, sempre quis conhecer a cidade mas nunca tive a oportunidade. Uma vez estava me sentindo de saco cheio de tudo, pedi 5 dias de folgas no trabalho, comprei a passagem e fui.

Cheguei no dia 1 de novembro e voltei dia 5. Estava na primavera, a cidade estava toda florida, com muitas árvores com folhas roxas, o que dava uma atmosfera incrível, contrastando com as construções que te fazem se sentir na Europa em bairros como Recoleta e até mesmo no Centro. Por falar na Recoleta, gastei boa parte da viagem andando pelo bairro, é realmente muito bom!

5diassairdarotina

Dia 01: Cheguei pelo aeroporto de Ezeiza e já troquei alguns reais para pesos, peguei um taxi e fui pro Hyatt, não fiquei lá, mas fui pegar as chaves do apartamento do meu amigo, que trabalha lá. Chaves em mãos, peguei outro táxi e fui pro apartamento, deixei minhas coisas e saí pra conhecer as redondezas. Era na Calle Moreno y Salta, logo, era no Centro, bem de cara com a Avenida 9 de Julio, Belgrano, Av. de Mayo…

Andei pela 9 de Julio e logo encontrei uma manifestação contra o capitalismo, não fiz parte, mas assisti e era muito lindo e enfático, queimaram uma bandeira dos EUA, dividiam pedaços de pão, compartilhavam bebidas juntos, tudo em plena 9 de Julio. Continuei andando e logo depois, perto de Puerto Madero encontrei outro grupo, um pouco menor protestando contra o consumo de carne, era um grupo vegano que gritava palavras de ordem contra o Mc Donald’s e etc.

Logo naqueles primeiros momentos em BsAs já havia me encantando muito, eu percebi um lado cultural muito forte neles, além disso, os protestos não atrapalhavam o trânsito, e não era perigoso como aqui no Rio, São Paulo, etc. Andei, andei, achei uns bares legais em Puerto Madero e estava só verificando a redondeza para ver o que faria quando meu amigo chegasse e a gente fosse sair pra beber umas, tinha muitos bares legais na região. Porém começou a chover e naquela noite não fiz nada na noche portenha, estava congelante, uns 8 graus. Ficamos em casa bebendo vinho e botando papo em dia.

dica_do_leitor_1

Dia 02: Acordei tarde, umas 11h. Nos arrumamos e partimos para Casa Rosada, estava chovendo muito e bastante frio, fizemos a visita guiada que é bacana, porem não fui até o final, mas se forem terão a oportunidade de conhecer a sala presidencial.

dica_do_leitor_2

Todo domingo a visita é gratuita e o prédio é bem bonito. Após isso fomos para o Museu Casa Rosada, que é atrás da Casa Rosada, no subterrâneo é muito legal, tem um café lá dentro muito estilo e é bem gostoso.

dica_do_leitor_5

Logo após isso fomos no Galerias Pacífico, é o shopping mais maneiro que já fui na vida! O teto, os corrimões das escadas, tudo muito clássico, as lojas têm um preço salgado, mas não me importava, eu não fui na intenção de comprar. Vale muito a pena a visita nesse shopping.

dica_do_leitor_3

Depois fomos para Recoleta, onde meu amigo trabalha e fiquei sozinho batendo perna pelo bairro, tentando encontrar o MALBA (o museu é em Palermo). Andei até não aguentar mais no meio da chuva e vento, com o guarda-chuva quebrado, já estava encharcado quando decidi pegar um táxi na Av. Figueroa Alcorta (uma das avenidas mais importantes e bonitas), era um longo caminho até ao MALBA, eu ia definitivamente ficar cansado de tanto andar.

dica_do_trabalho_10

Mas valeu muito a pena, o museu é grande, tem o Abaporu, obra da Tarsila do Amaral que foi comprada por quase 3 milhões de dólares por um colecionador argentino. Tem várias outras atrações também, os quadros das mulheres nuas sãp muito demais, o banco de madeira que tem no segundo andar é genial (vocês vão saber o porque), fora que lá também tem um teatro e um restaurante chamado “Marcelo Cocina Italiana”, que é muito bom pra almoçar ou tomar um simples café. Vale a pena conhecer, é um dos museus mais importantes da América do Sul. Logo perto dali tem o Jardim Japonês, porém só visitei em outro dia.

Não lembro muito o que fiz depois disso, fui no Shopping Alto Palermo e depois devo ter ficado andando. À noite eu bebi mais vinho, e assisti uns filmes em espanhol.

Dia 03: Fui no Palácio Barolo e é incrível a vista de lá de cima! A visita é guiada e conta a história de Dante e da Divina Comédia. O guia divide o prédio em três partes, inferno, purgatório e paraíso, e pra chegar ao paraíso aja fôlego porque é muita escada, muita mesmo! Mas a vista recompensa e muito! Vale uma foto com a selva de pedras atrás e o Congresso bem no meio, espetacular. Tem visita de noite também, mas acho que de dia é bem mais legal, além de ser mais barato.

dica_do_leitor_6

Nesse dia eu também almocei no Cabaña Villegas, vale a pena ir com sua namorada ou namorado, ou até mesmo com amigos, mas como eu estava viajando sozinho fui sozinho, o que não me impediu de comer muito! Peçam mesa na varanda pra admirar o rio e os prédios de Puerto Madero, achei o preço médio.

Nesse mesmo dia fui à noite para a Plaza Serrano, era uma segunda-feira. Na verdade já devia ser quase 2h da manhã e tinha uma balada animada que não lembro o nome, Brujas, talvez, a entrada era grátis e Quilmes barata. Nessa praça tem vários bares e falam que final de semana fica mais cheia ainda. Vale se atentar ao fato de que os portenhos só começam a encher os bares e baladas lá pelas 2h da manhã, se caso você chegue à meia-noite vai ser o único, e eles também costumam encerrar a farra pelas 8h da manhã, foi o que me disseram em vários bares. Gostei da noite, mas tocava muita música latina e eles dançam um tanto quanto engraçado.

O que eu mais gostei foi da cumbia, é um estilo musical não muito requintado, como o funk aqui no Brasil, lá eles têm a mesma impressão porém é “som de preto, de favelado, mas quando toca ninguém fica parado”! Muito bom pra dançar, mas não queira fazer uns passos de funk porque não tem nada a ver, é um molejo diferente e difícil demais! Kkkk!

Dia 04: Nesse dia eu queria ir ao Zoológico de Lujan, porém não deu certo devido ao tempo chuvoso. Não desanimei e continuei aproveitando a cidade, tomei café da manhã no Café Tortoni e almocei no Le Pain Quotidien da Calle Posadas, muito agradável. Fui também na visita guiada do Cemitério da Recoleta, o que é bem curioso e grátis.

Também gastei um bom tempo no Jardim Japonês, que é bem bonito, tem um espaço de massagem lá no final em uma construção tipicamente oriental. Pelo menos quando fui tinha, não sei se é permanente, e também fui no Hard Rock Café. Nesse dia comprei uns presentes pra trazer pro Brasil e não fiz muita coisa à noite além de beber vinho até de madrugada mais uma vez, rs.

dica_do_leitor_7

Dia 05: Acordei bem cedo, pois meu voo era de tarde e não queria perder tempo. Fui até a Calle Florida, troquei mais alguns pesos e peguei um taxi até o Caminito. De início tudo bem legal, casas coloridas, souvenirs, mas logo enjoei, não tem muito o que fazer por lá. Mas pra sair de lá é horrível, não se acha muito táxi, não sei se foi pelo fato de ainda ser de manhã. Enfim, me arrisquei a pegar ônibus, que por lá são muito estranhos e curiosos, os ônibus de BsAs são muito coloridos e confusos pra quem não é de lá, mas em contrapartida são muito eficientes assim como os outros sistemas de transporte.

Fui parar em San Telmo, fiquei andando pelas ruas históricas, tirando fotos de turista, comendo e comprando mais e mais alfajor! Rsrs.

Fui pro apartamento, fiquei trocando papo com meu amigo, esperei a hora de ir pro aeroporto com uma chateação de voltar pra rotina. Buenos Aires fará isso com você, acho que ninguém volta normal, a cidade é imensa, tem programação a qualquer momento e isso faz com que você sempre queira voltar. Ainda não voltei, mas estou certo de que o farei.

dica_do_leitor_8

Dicas:
1. Ao comprar doce de leite prefira Martínez, Havanna é um tanto quanto aguado e Cachafaz é melhor que o segundo, mas Martínez é muito gostoso.
2. Freddo não é tudo o que dizem, mas faça sua parte de turista e coma.
3. Tem uma pizzaria, que na verdade não é só pizzaria, é na Av. de Mayo na frente do Mc Donalds do Obelisco, é barata e muito, mas muito gostosa! E não bebam Fanta Pomello, isso é terrível.
4. Metrô é realmente uma mão na roda, mas baixe o aplicativo do Subte antes de usar, as linhas são mais complexas do que as daqui, aquilo realmente é um metrô.
5. Baixe também o mapa de Buenos Aires do TripAdvisor, o GPS funciona off-line e ajuda muito, a cidade não é difícil de se locomover, mesmo assim você está na segunda maior metrópole da América do Sul.

Bom, aqui está meu relato. Espero ter ajudado alguém. Aproveito também pra agradecer ao Aires Buenos Blog, que me ajudou muito antes de ir pra Buenos Aires.

dica_do_leitor_9

Muito obrigada pelas dicas, Ruan! É uma tristeza mesmo voltar de Buenos Aires e iniciar novamente a rotina. Bóra então trabalhar e planejar a próxima viagem para as terras portenhas, não é mesmo? E para deixar a vida mais doce é só voltar com um carregamento de alfajor e doce de leite para o Brasil!

Para ver mais dicas e conseguir montar um roteiro supercompleto, veja nossa categoria DICA DO LEITOR..

E para ver sua viagem aqui no blog, mande seu relato com algumas fotos para airesbuenosblog@gmail.com.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *