Viagem de 6 dias em Buenos Aires – Dica do leitor

Segunda-feira começando com uma dica do leitor gostosinha da viagem de 6 dias em Buenos Aires feita pela Flávia e pelo João. Eles andaram bastante e pegaram pouquíssimos táxis durante a viagem. A capital portenha é um bom lugar para se gastar a sola do passado enquanto aproveita para conhecer as ruas com a alma da cidade

Para quem está com passagem comprada, recomendamos o nosso e-book com um roteiro básico fechadinho para quatro dias! Você não vai ter trabalho nenhum com pesquisa com o Guia Básico: 4 dias em Buenos Aires. E quem quer conhecer o lado menos turístico e mais com a alma portenha da cidade, temos o Guia Lado B dos pontos turísticos de Buenos Aires.

Viagem de 6 dias em Buenos Aires – Dica do leitor

dica_do_leitor_1

Dia 1, terça-feira: chegada

Em São Paulo, no Aeroporto de Guarulhos (GRU), decolamos 12h20 e chegamos em Buenos Aires por volta das 14h50 no Aeroparque (AEP). Eu e meu namorado escolhemos este aeroporto pela proximidade do hotel que iríamos ficar. Porém, o aeroporto Ezeiza tem uma infraestrutura melhor. Fizemos o câmbio no Banco de La Nación, onde a cotação oficial estava 3,60, não favorecendo muito para nós brasileiros. O táxi foi através da Tienda Leon também no aeroporto (dica do blog), a corrida custou 160 pesos. O restante do dia foi para conhecer a tão famosa Calle Florida e realizar o câmbio para os dias que estavam por vir. A cotação não oficial estava 3,80. Neste dia estávamos morrendo de fome e decidimos almoçar em um restaurante no Centro chamado El Gaucho (150 pesos por pessoa). Muitos restaurantes em BsAs aceitam o real com uma cotação melhor do que a do câmbio, chegando até em 4,50. Voltamos para o hotel e descansamos porque o dia seguinte seria longo.

Nota 1: Ficamos no Embajador Hotel, localizado na Avenida 9 de Julio, interessante para quem quer fazer passeios a pé, ônibus ou trem. Além de ser no Centro – próximo de vários pontos turísticos – a avenida é bem movimentada, com vários comércios, e é bem parecida com a Av. Paulista aqui em São Paulo.
Nota 2: Fomos no outono, mas a temperatura já estava caindo. O clima é de frio, mesmo com o sol aparecendo ao longo do dia.

Dia 2, quarta-feira: city tour

Tomamos o café da manhã no hotel e fomos a pé conhecer o Obelisco e o Teatro Colón.

Passamos pela Calle Florida novamente. Os pacotes turísticos eram oferecidos repetidamente, muitas vezes até por brasileiros, além do “câmbio, câmbio” oferecido pela rua inteira. Fomos para as Galerias Pacífico e eu particularmente não vi muita graça, além do preço ser comparado com o do Brasil ou até mais elevado, é um shopping como outros, de lá descemos até a Casa Rosada, Plaza de Mayo e a Catedral Metropolitana. Tomamos um café no London City (50 pesos por pessoa) e recomendo o local.

dica_do_leitor_2

Da Plaza de Mayo, fomos para o famoso Puerto Madero, onde tiramos várias fotos. Passamos também pela Puente de la Mujer. Fomos até o Madero Tango, para garantir nossos ingressos do tango da noite de sexta-feira.

Almoçamos em um fast-food, chamado Mostaza (105 pesos por pessoa), perto da Calle Florida e já estávamos cansados de andar mais de 10 km. Fomos para o hotel no fim da tarde após tomar um sorvete na Freddo. Jantamos no Parrilla Peña (dica do blog e gastamos 200 pesos por pessoa), um bife de chorizo muito bom por sinal. Fomos de táxi, mas acabamos voltando a pé mesmo para nosso hotel.

Nota 1: O Puerto Madero fica mais bonito à noite, tirem fotos!

Nota 2: O horário do jantar em BsAs é mais tarde do que no Brasil, chegamos por volta das 23h no Parrila Peña e estava lotado.

Nota 3: Além do transfer para o aeroporto, foi a nossa única corrida de táxi pela cidade.

dica_do_leitor_3

Dia 3, quinta-feira: Zoo Lujan

Levantamos mais cedo este dia. Fomos de minivan (Fabebus) e o local de saída era em um terminal subterrâneo embaixo do Obelisco (200 pesos por pessoa – ida e volta). O trajeto para o Zoo Lujan dura uns 50 minutos. O Zoo é literalmente uma fazenda, é enorme, porém não muito bem conservado. Alguns animais, como patos e galinhas ficam soltos, atacando correndo por nós. As jaulas dos felinos são as atrações principais. É possível entrar na jaula do leão, na jaula dos tigres e dar comida para um urso. As fotos com os leões e tigres são tiradas com o celular pelas mãos dos tratadores e não há um valor extra pago pela foto. O passeio pode ser feito na metade do dia, dá tempo para ver tudo. Apesar de ser um zoológico famoso por polêmicas, vale a pena conhecer, a sensação é única. Não vi maltrato aos animais, nem nada que pudesse mudar a minha opinião sobre o local, o tratamento não deixa de ser diferente do que em qualquer zoológico em outras cidades.

dica_do_leitor_4

Neste dia jantamos em um café próximo ao hotel, chamado Gross Café (250 pesos por pessoa).

Nota: Quando voltamos do Zoo Luján, sentamos no Café Plaz para tomar uma cerveja Quilmes e apreciarmos a avenida tão movimentada. O dia estava lindo, ensolarado porém gelado, e assim nós dois aproveitamos para relaxarmos um pouco.

Dia 4, sexta-feira: Estádio La BomboneraCaminito e Madero Tango.

Eu e meu namorado nos informamos no hotel sobre como chegaríamos ao bairro da boca e fomos de ônibus. Compramos o cartão SUBE (30 pesos o cartão + 6,50 pesos por passagem/pessoa) em uma casa lotérica próxima ao hotel, e a sua carga poderia ser feita em vários estabelecimentos que apresentavam a placa SUBE na cor azul. O bairro é mais perigoso do que o Centro, requer um pouco mais de atenção ao andar pelas ruas. O estádio foi fácil de encontrar, fizemos a visita guiada pelo estádio (150 pesos por pessoa) e valeu muito a pena, pois a guia era atenciosa e animada, as informações passadas eram interessantes e os ambientes visitados também. Fomos para o museu do estádio, que é bastante tecnológico e bonito.

dica_do_leitor_6

De lá, seguimos para o Caminito – local famoso pelas casas coloridas. No Caminito há vários restaurantes com casais de dançarinos de tango se apresentando, além das feirinhas de compras. É um passeio dispensável, mas se você já tiver ido até o estádio, então vale a visita.

Nota: Os valores das compras no Caminito eram inferiores comparados com a Calle Florida, mas não tão baixos como da Feira de San Telmo.

dica_do_leitor_7

Na noite de sexta-feira, fomos ao tão esperado show de tango. O pacote comprado para o casal vinha com o jantar, show de tango e o transfer de ida e volta (550 pesos por pessoa no lugar mais barato). O jantar acompanhava uma entrada, prato principal e sobremesa, além de duas taças de bebidas, sendo uma de vinho e outra de refrigerante ou água. O espetáculo foi bonito e bem realizado. No transfer tudo ocorreu bem. O jantar estava ok, mas sensacional mesmo foi a vista do Puerto Madero de noite, além da companhia que eu estava é claro, risos.

dica_do_leitor_8

Dia 5, sábado: Recoleta, Cemitério da Recoleta e Hard Rock Café

No sábado de manhã, fomos para o bairro da Recoleta andando e passamos por uma praça até chegar ao Cemitério. A praça estava bem tranquila e sentamos um pouco.

Chegando ao Cemitério fomos visitar o túmulo da Evita Perón, passeio dispensável, porém tinha curiosidade de fazer. Saindo de lá, passamos pela feirinha da Recoleta e fomos almoçar no Hard Rock Café, localizado no shopping Buenos Aires Design. O Hard Rock Café era um local que queria muito conhecer pela fama internacional e me encantei com o local e suas guitarras decorando o ambiente. A comida era boa. O cardápio lembrava um pouco o Outback. A cotação do real era 4 pesos, então valia a pena pagar em reais. Super recomendo o local aos turistas.

dica_do_leitor_9

Tomamos o café da tarde na Dandy’s, padaria com um design bonito e com cara americana, próximo à Plaza de San Martin. Tudo estava delicioso. À noite, jantamos em um restaurante próximo ao hotel – pizza com vinho -, não existe combinação melhor. Arrumamos nossas coisas e descansamos, pois iríamos partir no dia seguinte.

Dia 6, domingo: San Telmo e partida

No nosso último dia, pegamos um ônibus que passava próximo ao hotel e cedinho fomos para a tão falada Feira de San Telmo, local adequado para as compras de presentinhos. Lá tiramos a foto que eu tanto queria com a Mafalda. Nesta feirinha, encontramos os presentes pelo menor preço da cidade, vale muito a pena. A feira é bem longa e têm muitas opções, desde couro até artigos de prata.

Nota: Pensei que a estátua da Mafalda fosse maior, mas gostei mesmo assim.

Antes de sairmos para o Aeroparque (AEP), tomamos nosso último café em BsAs no Havanna, tudo estava delicioso.

dica_do_leitor_10

Ah, que viagem boa essa! É do jeito que recomendamos aqui no blog, conhecer os principais pontos de um bairro por dia. É bom porque é possível conhecer tudo que fica pertinho um do outro e assim a viagem não fica tão cansativa, mesmo caminhando bastante.

Aqui no blog temos outros roteiros de leitores, para dar uma olhada é só clicar na categoria DICA DO LEITOR.

E estamos aguardando a sua dica para colocar aqui! Ela pode ser muito valiosa para quem está planejando uma viagem para Buenos Aires. Não precisa ser seu roteiro completo, apenas algo interessante e que você acha que vale a pena ser compartilhado. Escreva para airesbuenosblog@gmail.com e mande uma foto junto.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

10 comentários

  1. Ricardo

    Parabéns pelo roteiro ! São vários ou uma minoria de restaurantes que aceitam pagamento em Reais ?

    • Túlio Bragança

      Só se vc tem dólar em maos. No geral nao vale trocar real por dolar ai e depois trocar dolar aqui

  2. Marcos Yuri

    Gostamos muito do passeio de vcs. Eu e minha namorada vamos em Dezembro.Gostaria de saber quanto gastaram mais ou menos?

Curtiu? Comente aí!