8 dias em Buenos Aires – Dica do leitor

A dica do leitor de hoje é de alguém que realmente se planejou e montou um roteiro bastante recheado, com direito à diversas visitas guiadas! Chegou a vez do Diego contar para nós um pouco da sua viagem de 8 dias em Buenos Aires e mostrar que com um pouco de economia e bastante pesquisa é possível fazer uma viagem inesquecível.

Se você precisar de um roteiro para sua viagem pela capital argentina, saiba que nós do Aires Buenos Blog temos dois tipos de programação para te oferecer. O Guia Básico: 4 dias em Buenos Aires, com os passeios tradicionais da cidade e com diversas dicas de restaurantes legais, e também o Guia Lado B dos pontos turísticos de Buenos Aires, com passeios diferentes mas totalmente encantadores!

8 dias em Buenos Aires – Dica do leitor

dica_do_leitor_11

Olá pessoal, com muito esforço e abrindo mão de muitas coisas planejei essa viagem. Juntei dinheiro por um tempo, deixei de jogar futebol com os amigos pra economizar e realizar o sonho de conhecer Buenos Aires.

Em março decidi reunir arquivos, sites que li e tudo o mais que poderia dispor para fazer uma viagem inesquecível. Tenho um guia completo do país, que detalha ponto a ponto, mas precisava mais. Foi quando descobri o blog Aires Buenos. Li item por item enquanto o projeto ganhava forma. Acessando e andando pela capital argentina através do Google Maps eu colocava no papel referências para caso me perdesse. Imaginava: se eu não tiver um mapa em mãos, pelo meu guia não me perco, me oriento pelos lugares.

Fechei com a agência de viagem o vôo e o hotel (com traslado ida e volta do aeroporto). Voar pela Qatar foi uma experiência incrível. Eu nunca havia andado de avião, mas sempre ouvia dizer que a maioria das companhias não servem uma comida legal, etc. Foi tudo perfeito e a minha maior preocupação (malas) foi minimizada pelo excelente serviço.

Cheguei numa terça à noite, dia 11 de agosto. Elaborei minha programação da seguinte forma:

Dia 11: Cheguei e fiquei no hotel, pois já era um pouco tarde.

dica_do_leitor_1

Dia 12: A agência disponibliza um city tour (até tentam nos convencer de pagar almoço, mas eu já tinha pesquisado outros restaurantes). Depois do city tour segui pro El Establo, pro Obelisco e pro Hotel Panamericano, onde a prefeitura oferece uma visita guiada duas vezes ao mês. Encontrei até o Luis Scola (um dos maiores jogadores de basquete da Argentina de todos os tempos). Nessa visita há a explicação acompanhada de um folheto dos pontos da cidade. Subimos no último andar do hotel para poder ver a cidade do alto e o Obelisco lá em baixo. À noite ficou por conta do tango, lembrando que fechei os passeios por minha conta, sem intermediários. Acessava o site ou página do facebook do lugar e estabelecia a minha condição, que era pagar no dia que eu fosse ao evento, em pesos ou reais.

dica_do_leitor_7

Dia 13: Saí do hotel e segui pro Museo de la Pasión Boquense, fiz a visita guiada completa ao estádio com direito a foto com a taça Libertadores. Depois almocei no restaurante Santa Catalina, comida de qualidade em um restaurante que fica dentro de um convento. Visitei as imediações do Palacio San Martin, Plaza San Martin, Torre de los Ingleses e finalizei o dia admirando as Galerias Pacífico, comendo um belo sanduba no Mostaza. Tudo isso a pé ou de ônibus. Já tinha visto as rotas e os números das linhas através do site que a prefeitura de Buenos Aires disponibiliza. Tudo anotado.

dica_do_leitor_2

Dia 14: Um dia cultural com visita à Livraria El Ateneo, Cemitério da Recoleta, Centro Cultural Recoleta, Iglesia N. Sra. del Pillar. Pausa para comer no El Sanjuanino. Depois visita ao Palais de Glace, à Florallis Generica, Biblioteca Nacional, ao Museo Nacional de Belas Artes, e finalizando com uma parada no Hard Rock Café. Cansativo, porém muito produtivo.

dica_do_leitor_9

Dia 15: Como sabia que era possível visitar a Casa Rosada aos sábados, domingos e feriados deixei pra fazer o que eu chamei de passeio histórico naquele sábado. Cheguei à Casa Rosada às 10h para visita guiada. Uma guia chamada Valéria, muito simpática, recebeu as pessoas e fez questão de tirar uma foto conosco, pois estava em seu primeiro dia. De lá notei a bela fachada do Banco de La Nación, fiz minhas orações e conheci a Catedral de Buenos Aires seguindo para o Café Tortoni.

dica_do_leitor_3

Naquele dia havia uma comemoração da semana boliviana no país, com parte da Avenida de Mayo fechada para a festa com comidas típicas e música dos bolivianos. Do Teatro Colón segui para mais uma visita guiada, dessa vez no imponente Congresso argentino. Pra finalizar uma visita guiada ao Teatro Colón, um passeio pela Plaza Lavalle e uma porção de pizza e empanadas na Pizzaria Guerrín.

dica_do_leitor_10

Dia 16: Segui a tradição e me esbaldei nos 20 quarteirões da Feira de San Telmo. Oportunidade para conversar com simpáticos vendedores e comprar os mais variados artigos. Fui também ao Museo de Arte Moderno, ao Parque Lezama (Museo Historico Nacional) e almocei no Desnivel. De sobremesa o sorvete de doce de leite com mascarpone do Freddo. Na parte da tarde havia contratado uma empresa que me guiou e prestou um serviço excelente. Com eles consegui a experiência de assistir a um jogo do San Lorenzo no estádio Nuevo Gasómetro, que fica encravado em plena favela, me parece no bairro de Boedo. À noite fui ao Casino em Puerto Madero e andei pelo bairro. Belísimo também à noite com toda aquela iluminação da Puente de la Mujer e da Fragata Sarmiento. Voltei para o hotel depois do Casino de táxi (pela primeira vez usava o serviço e gostei). Apenas falei o destino e fiquei quieto. Já sabia, pelo meu roteiro, reconhecer se o taxista faria um percurso mais comprido ou não. Correu tudo bem.

Dia 17: Como era feriado no país aproveitei para visitar alguns dos belos parques que a cidade tem. Fui ao Rosedal, ao Jardim Japonês, ao Jardim Botânico, ao MALBA (que não é parque, mas fica em Palermo). Na hora do almoço quis provar o belo lanche do Burguer Joint e à noite… Ah, à noite eu fiz o que mais me agradou na viagem: fui ao The Argentine Experience. Um lugar onde degustamos e preparamos parte da comida, conhecemos os costumes dos portenhos, bebemos vinho, tomamos mate, comemos alfajor e conhecemos pessoas. Conheci uns colombianos bem agradáveis, que conheciam muito do Brasil e queriam saber muito mais. Foi incrível.

dica_do_leitor_5

Dia 18: Decidi que no penúltimo dia deveria tentar comprar coisinhas ou presentes uma vez que eu já sabia de quanto dispunha. Andei pelas famosas ruas de couro (Murillo e Gurruchaga), mas achei tudo caro. Fui ao Distrito Arcos, à Rua Florida, mas me encontrei mesmo no bairro Once, onde muitos argentinos compram suas próprias roupas. De toda forma é necessário que ao estar lá estejamos atentos e procuremos bem pelos preços.

dica_do_leitor_8

Dia 19 (último): O check-out do hotel era 11h da manhã, mas eu só iria para o aeroporto às 18h30. Então fui caminhar pela cidade. Visitei a Mafalda em San Telmo, andei por Puerto Madero e gostei demais também do bairro durante o dia. Tudo isso a pé, pois meu hotel em Monserrat não era tão longe. Por fim, me despedi da Argentina no coração da cidade, passeando pelo Obelisco, contemplando os chafarizes, o prédio da Evita e as diversas manifestações culturais, de artistas dos mais variados ramos.

dica_do_leitor_6

Nossa, Diego! Deu pra fazer bastante coisa na sua viagem. Até tirar foto com o Scola, que é superquerido entre os argentinos. Com certeza essa viagem vai ficar guardada na memória. Obrigada por compartilhar conosco seu roteiro e todos os passeios diferentes que você fez!

Para ler outros relatos de turistas brasileiros em Buenos Aires, visite a categoria DICA DO LEITOR.

Se você já visitou Buenos Aires, nos envie suas dicas de viagem. É só escrever para airesbuenosblog@gmail.com e mandar algumas fotos junto.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

12 comentários

  1. Heloisa Munaretto

    Boa tarde pessoal do Aires Buenos. Irei para buenos aires dia 11/11 com meu namorado e gostariamos de ir assistir o jogo do Brasil.
    Vocês podem nos indicar onde comprar os ingressos?
    É muito arriscado deixar para comprar ai, no dia do jogo?
    Existe uma torcida exclusiva para visitantes no estadio monumental?

    Desde ja agradeço pela ajuda.
    Um abraço

  2. Manu

    Excelente relato, Diego!
    Certamente, uma das viagens mais bem planejadas que já vi narrarem por aqui.
    E ainda estreou de Qatar! Parabéns!

  3. Olá, Sabri!
    Obrigado por comentar. Eu fui ao Complejo Tango. Nas pesquisas achei que ele, apesar de não ser o mais imponente, tinha mais daquilo que eu buscava. Pela ordem:

    19h30 às 20h30 – Aula de Tango
    20h30 às 22h00 – Jantar com entrada, prato principal e sobremesa (bebida liberada)
    22h00 às 23:40 – Show

    Os horários que citei são aproximados. Gostei da ordem, pois em outras casas a aula é após o jantar, quando muitos já estão trocando as pernas..rs
    A casa, como não é grande, proporciona ao público uma interação maior. Fui chamado ao palco, dancei (ou tentei) dançar com a profissional. Adorei !!

    Deixo meu e-mail à disposição: diegolopes1988@yahoo.com.br

    Abraços.

  4. Gustavo

    Olá! Primeiramente quero parabenizar o blog e dizer que recomendo a todos o guia básico disponível para compra por um preço super em conta. A dúvida é, vou viajar com minha esposa no dia 04/11 e ficaremos uma semana. Queremos assistir uma ópera no teatro colon. Sabe nos dizer o valor e o tipo de traje para o local para nos programarmos com as malas?

    • Túlio Bragança

      Gustavo, os preços variam muito. Desde 30 reais a 400 mais ou menos. O que sugiro é não pegar o mais barato porque é MUITO ruim, vc pode ter que ficar em pé ou muitas vezes em cadeiras bem apertadas.

  5. Thais

    Muito bom o relato!
    Gostaria de esclarecer que o estádio do San Lorenzo não fica em Boedo e sim em Flores.

Leave a Reply to Thais Cancel reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *