carne argentina

Breve guia da carne argentina

Se tem uma briga que os brasileiros parecem desistir de ganhar dos argentinos é a respeito da qualidade da carne nacional. Dos uruguaios, então, é melhor nem tentar. Mas por que, de modo geral, os bifes hermanos são mais saborosos e suculentos?

Uma das explicações é que o pampa argentino é um terreno totalmente plano, ou seja, o gado criado ali não faz muito esforço muscular, mantendo sua carne macia e com aquela desejável gordurinha marmorizada. É claro que aqui também tem produção de gado em confinamento, como no Brasil, mas ainda há muitos produtores que preservam o sistema em pastoreio livre, com o novilho se alimentando de um pasto mais nutritivo e de boa qualidade.

Cada argentino consome em média 127 quilos de carne por ano, o que faz deles grandes especialistas no assunto. Quer entender melhor este mundo? Então dá uma olhada nas informações que separamos pra brasileiro nenhum ficar perdido.

Breve guia da carne argentina

carne argentina

La Carniceria de Palermo. Foto: Sorrel Williams

Uma das maiores dificuldades na hora de escolher uma boa carne num restaurante portenho é entender a correspondência dos cortes. Por exemplo: “entraña” pode soar algo polêmico, tipo vísceras, mas na verdade é só um nome pra nossa “maminha”. Já se a ideia é pedir “miúdos”, aqui o termo é “achura“, e os mais populares são os “chinchulines” (intestino delgado), mollejas (uma glândula que fica no pescoço do boi) e riñones (rins). Quer uma picanha? Peça tapa de cuadril. Um filé-mignon? Vá de lomo. Prefere fraldinha? Peça por vacío. Costela? Asado de tira. E por aí vai.

carne argentinaQuanto ao bife de chorizo, pode pedir assim mesmo. Mas lembre-se que, se você disser apenas chorizo, o garçom vai te trazer uma linguicinha! (Um clássico argentino, aliás, é o “choripan“, o famoso pão com linguiça). Só não confunda chorizo com “chouriço”: se a ideia é comer aqueles embutidos de tripa de porco, tem que pedir por morcilla. (Mas, pô, com tanta carne boa no mundo, pra quê, né?)

Outros cortes espetaculares encontrados nas parrillas portenhas são o bife ancho e o ojo de bife, respectivamente a ponta e o miolo do contrafilé. São muito macios, e não é à toa que estão entre os mais pedidos da galera.

carne argentina

O bife de chorizo da Parrilla Peña.

Por falar em pedir, não esqueça de dizer se prefere a carne jugosa (mal passada), a punto (ao ponto) ou cocida (bem passada). Porém, se você prefere ao ponto, talvez seja melhor pedir cocida, porque os argentinos costumam servir a carne um tantinho mais crua do que no Brasil.

carne argentinaAlgumas diferenças entre nosso churras e o asado deles:

-Usamos carvão, enquanto eles preferem brasa de carvão ou madeira, o que deixa a carne levemente defumada;

-Servimos linguicinha, farofa e maionese, enquanto eles preferem achuras, “picada” de frios, provoleta (queijo provolone assado na grelha) e legumes assados de acompanhamento, principalmente pimentões. Mas pão, aqui, também não pode faltar;

carne argentina

Salsa criolla, o vinagrete local.

-Ao invés do nosso molhinho vinagrete, os hermanos curtem chimichurri. Mas eles também têm uma tal de “salsa criolla“, muito com o nosso vinagrete, com a diferença que leva pimentão na receita;

-Temperamos a carne com sal grosso, enquanto na Argentina há uma lei que reduz drasticamente a quantidade de sal na comida. Se quiser colocar um pouco mais, tem que pedir pro garçom, porque até os saleiros nas mesas estão proibidos;

-No lugar da cerveja bem gelada, aqui a bebida oficial do churrasco é, obviamente, vinho tinto.

carne argentina

La Gran Parrilla del Plata, um dos nossos preferidos da cidade, em San Telmo.

Recapitulando:

Bife de chorizo: parte de trás do contra-filé, um dos mais pedidos nas parrillas argentinas.

Ojo de bife: miolo do contra-filé

Bife de lomo: é contra-filé brasileiro, só que ainda mais delicioso e macio.

Bola de lomo: como se fosse o patinho, muito usado para as milanesas.

Achuras: nome genérico para miúdos, tem de tudo.

Tapa de cuadril: é o mais perto do que os argentinos tem da nossa picanha

O jornal La Nación listou os 10 pecados capitais de um churrasqueiro. Pra quem curte se aventurar na arte do asado, fica a dica. Outra dica é assistir aos vídeos do canal Locos por el asado, onde um argentino muito figura ensina a fazer churrasco de um jeito simples, divertido e sem frescura. A receita de Entraña com injeção de molho de alho e pimentão é simplesmente de babar.

E você, já provou a carne argentina? Conte pra gente como (e onde) foi essa experiência! Confira aqui algumas parrillas que já provamos em Buenos Aires.

A foto do início do post, batizada de “La última cena”, é do fotógrafo argentino Marcos López.

Leia nosso post com os 5 melhores bifes de chorizo de Buenos Aires

Conheça a Parrilla Peña, ótima opção para quem está no centro

Devore todos os posts da Mariana Sanchez na seção VIDA PORTENHA.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

1 comentário

  1. Pingback: Buenos Aires, Argentina - Comida Conecta

Curtiu? Comente aí!