buenos aires com bebe

Buenos Aires com bebê – Dica do leitor

A dica do leitor de hoje é mais que necessária para os papais: Buenos Aires com bebê. Além de uma mala extra de fraldas, há algumas outras coisas com é preciso preocupar, como berço no hotel, como é que funciona para levar um carrinho de bebê e etc.

O Felipe é um amigo de Curitiba de longa data que já tinha vindo antes para Buenos Aires sem sua filha. Agora nessa visita portenha ele não teve muito tempo para planejar, por isso optou pela compra do nosso Guia Básico: 4 dias em Buenos Aires, que segundo ele foi uma boa mão na roda. Para conhecer lugares menos óbvios na cidade e entender um pouco melhor da história e cultura argentina, veja o nosso Guia Lado B dos pontos turísticos de Buenos Aires.

Buenos Aires com bebê – Dica do leitor

buenosairescombebe02

Liz conhecendo a Mafalda

Nossa viagem a Buenos Aires em novembro do ano passado não contou com muito planejamento. Foi decidida assim de supetão para aproveitar pontos que venceriam no cartão de crédito. E assim decidimos ir: quatro adultos (eu, esposa e meus sogros) e nossa filha Liz, que estaria com 1 ano e 1 mês na data da viagem.

Chegando mais próximo à data, percebi que não havia informações pertinentes sobre o tema “viagem a Buenos Aires com um bebê”. Assim, decidi contribuir com o Aires Buenos, sem dúvida o melhor site sobre turismo em Buenos Aires, com informações a este respeito. As demais informações do blog foram mais do que úteis para a viagem, e inclusive compramos o Guia Básico para nos ajudar por lá. Indispensável e altamente recomendado.

1 – Reservando hotel

buenos aires com bebe

Foto do Dazzler San Martin

Ao reservar o hotel, certifique-se sobre a política para receber crianças. Muitos hotéis oferecem um berço e acomodam seu filho sem custo extra, mas vale se certificar se há berços disponíveis. Sites como o booking.com têm essa informação, mas assim que efetuar a reserva, vale enviar um e-mail para o hotel reiterando a escolha pelo berço.

Nós ficamos hospedados no Dazzler San Martin, e no quarto que reservamos havia inclusive uma sala que acomodou o berço com tranquilidade.

2 – Locomoção no aeroporto/Carrinho

Tínhamos reservado a TAM, mas devido a um problema meteorológico nosso voo de ida foi pela GOL, depois de já termos feito check-in e despachado bagagens pela TAM. Foi chato, mas pudemos experimentar os dois serviços:

– a TAM deixa você ficar com seu carrinho até a hora de embarque, inclusive passar pelo raio-X, e quando você entra no avião eles mandam seu carrinho para as bagagens. A TAM também oferece um carrinho da própria companhia no aeroporto, caso você queira já despachar o seu junto com as bagagens;

– a GOL não permitiu ficar com o carrinho até a hora do embarque, e também não ofereceu carrinho da própria companhia. Ou seja, você carrega seu bebê no colo depois de fazer o check-in.

3 – Bebê no táxi em Buenos Aires

Embora haja leis determinando o uso de cadeirinha ou bebê-conforto na Argentina, parece que não existe fiscalização e os taxistas de lá não ligam muito pra isso. Ainda assim, como para nós a segurança vem em primeiro lugar, levamos o carrinho com bebê-conforto do Brasil. A parte chata é que éramos 4 adultos e, mesmo que coubéssemos todos e mais o bebê-conforto instalado no carro, nenhum taxista de Buenos Aires vai levar mais que quatro passageiros numa viagem. Então tivemos que pegar dois táxis para ir do aeroporto de Ezeiza ao Centro de Buenos Aires. Uma nota!

Por curiosidade, eu perguntei para alguns taxistas se eles levariam a bebê caso ela fosse no colo, mas disseram que cobrariam um valor extra. O táxi em Buenos Aires é relativamente barato, com exceção dos trajetos entre aeroporto e Centro.

Como eu já esperava que isso fosse ocorrer, tinha reservado um hotel próximo a uma estação de metrô, assim usaríamos menos táxi e mais metrô. Segue o próximo tópico:

4 – Metrô

buenos aires com bebe

Certamente era uma opção interessante. Se você decidir pelo metrô, tem que ter em mente duas coisas:

– a grande maioria das estações não tem elevador que funcione, nem escada rolante. Assim, você vai precisar de ajuda para subir ou descer da estação com o carrinho. Como estávamos em quatro pessoas, não era assim um grande problema;

– dependendo da hora do rush, vai ser um pouco atrapalhado entrar no metrô com bebê e carrinho.

E também vale se informar sobre o local onde você vai se hospedar. Lembre-se que alguns bairros não têm metrô próximo.

5 – Circulando com o carrinho pelas ruas de Buenos Aires

buenos aires com bebe

Para quem está acostumado com Curitiba, as calçadas de Buenos Aires têm melhor condição. Atenção apenas para os cocôs de cachorro, eles estão por toda a parte!

Em um ou dois dias, eu preferi deixar o carrinho em casa e usar um canguru (ou sling), o que foi mais prático. Dependendo do peso do seu bebê, será a melhor opção.

6 – Restaurantes

buenos aires com bebe

Optamos em toda a viagem por restaurantes fora do circuito turístico, e fomos mais àqueles frequentados pelos moradores da cidade — boa parte deles por sugestão do próprio Aires Buenos, como a Gran Parrilla Del Plata. Em nenhum deles foi problema estar com um bebê, seja para almoço ou jantar. Como a Liz já comia praticamente de tudo, era só pedir uma sopa ou uma massa para ela e o jantar ou almoço estava garantido.

7 – Seguro saúde/Hospitais

Não se esqueça de fazer um seguro saúde internacional para todos. No caso de viajar com um bebê, vale pesquisar sobre hospitais para caso de alguma emergência. Pelo que entendi, o Suizo-Argentino é hospital infantil e maternidade de padrão internacional. Fica na Av. Pueyrredón, 1461, na Recoleta.

Muito obrigado pelas dicas, Felipe! Espero que a Liz tenha tido uma viagem inesquecível aqui por terras portenhas!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

7 comentários

  1. Geneci Oliveira

    Ótimo relato. Muito útil. Também estivemos em Buenos Aires com nossa filha quando ela tinha exatamente a mesma idade em 2014. A Aerolíneas também permite ir com o carrinho até a porta da aeronave. Como alugamos apartamento pela Airbnb com cozinha, muitas das refeições dela eu mesma preparei e nos restaurantes ela só beliscava um pouco.Éramos três adultos e ela, o que facilitava subir e descer as escadas do metrô com carrinho. Mas teve dias que andamos de Palermo até a Recoleta e estar com o carrinho fez toda a diferença. Os únicos lugares que não conseguimos entrar com o carrinho foram a Fragata Sarmiento e o museozinho que tem dentro da Igreja do Pilar, de resto foi tranquilo em museus e restaurantes, inclusive os conhecidos Don Júlio e Miranda. Precisamos comprar uma capa de chuva para o carrinho e eu não sabia onde comprar e nem qual era o nome. Encontrei em uma loja de brinquedos e eles chamam simplesmente de “plástico para cochecito”.

  2. Taise Vicelli

    Fomos pra Buenos com nossa filha quando ela tinha 4 meses, foi a primeira viagem dela. Voamos de Tam, ficamos hospedados em Palermo, levamos carrinho e canguru, foi tudo tranquilo. Fazíamos horários alternativos porque seguíamos o horário dela. Éramos os primeiros a tomar café da manhã rsrs… passeávamos durante o dia, ela dava os cochilos do dia no carrinho mesmo, jantávamos assim que os restaurante abria e voltávamos com uma garrafa de vinho pro hotel. Só temos lembranças boas dessa viagem…

  3. Juliana

    Boa noite! Vamos viajar com nossa filha de 5 meses dia 22 de agosto e estou cheia de dúvidas mas seu post ja me ajudou mto, Obrigada!

  4. Manu

    Boa Noite,Obrigada por compartilhar sua experiencia com nós, agora estou procurando alguém q tenha ido com dois bebês kkkk, eu e meu marido vamos mês q vem para Buenos Aires com nossos filhos( bebês), mês q vem a menina tera 1 ano e meio e o menino tera 3 meses, minha sogra iria mas desistiu ,ela é idosa e acha q não irar aguentar caminhar muito então iremos so nós dois com os 2 bebes,pode parecer loucura mas gostamos de viajar e sair da rotina nem q seja uma vez por ano,iremos com todo cuidado e cautela,por isso estou pesquisando bastante, em breve estarei aqui de volta pra poder compartilhar minha experienia com vcs tbm. Obrigada

Curtiu? Comente aí!