Espacio Memoria y Derechos Humanos – ex ESMA

Se tem algo que Buenos Aires tem de sobra, além de bons vinhos, são os museus e espaços culturais. E o mais legal é quando um lugar que traz memórias escuras sobre a história argentina cede espaço para promoção dos direitos humanos. E é exatamente isso que é o Espacio Memoria y Derechos Humanos.

Se você chegou até esse post procurando o que fazer em Buenos Aires, recomendamos muito os nossos guias. Um deles é para quem quer conhecer os principais pontos turísticos da cidade, o Guia Básico: 4 dias em Buenos Aires. O outro é para quem quer fazer programas mais alternativos e fora do circuito tradicional, que é o Guia Lado B dos pontos turísticos de Buenos Aires.

Espacio Memoria y Derechos Humanos

 

O Espacio Memoria y Derechos Humanos também é chamado de ex ESMA (Escuela de Suboficiales de Mecánica de la Armada). Para quem é argentino ESMA é uma sigla que relembra as atrocidades e torturas que ocorreram no país durante a ditadura, pois lá funcionou uma prisão clandestina entre 1976 e 1983.

No ano de 1978 muitos cidadãos argentinos foram torturados lá, sendo que nesse mesmo ano a Argentina foi sede da Copa do Mundo. Ou seja, a poucas quadras do estádio do River, funcionava uma prisão clandestina e quase nada era dito sobre isso! Das 5.000 pessoas que passaram pelo ESMA apenas 200 sobreviveram, as demais são consideradas desaparecidas. A suspeita é que boa parte foi executada ou então que as vítimas foram lançadas vivas no Río de la Plata, ato que era conhecido como “voos da morte”.

Mas agora os anos já se passaram e o espaço de 17 hectares virou um centro cultural para relembrar a história e não repetí-la. O local tem o intuito de homenagear as vítimas do terrorismo de Estado, preservar a memória e defender a promoção dos direitos humanos. E isso é feito através de várias amostras, teatros, exibições cinematográficas, cursos e uma infinidade de atividades para pessoas de todas as idades.

Quem quiser conhecer o local vai precisar de um bom tempo, afinal são quase 30 edifícios. O espaço destinado à memória fica no ex “Casino de Oficiales”, que é conhecido como o coração do horror. Ele foi o complexo habitacional das mais altas hierarquias da Marina, sendo a base operativa de toda repressão. Em 2008 ele foi declarado Monumento Histórico Nacional por ser um verdadeiro testemunho material dos crimes ali cometidos e que hoje passam por investigação.

Ao longo do ano há diversas atividades culturais gratuitas por lá. Há também uma visita guiada que precisa ser agendada. Ela é bem longa, dura cerca de três horas e muitas pessoas se comovem com a história, sendo que algumas vezes há até mesmo algum familiar de um desaparecido. Há casos da visita se estender um pouco mais devido a debates que se iniciam no grupo.

Os móveis e objetos originais foram retirados de muitos locais e hoje há apenas os testemunhos dos sobreviventes pendurados nas paredes, mas por serem poucos sobreviventes há poucos testemunhos.

As visitas guiadas acontecem nas segundas, quartas, quinta e sextas, às 10h, 12h e 14h. Sábado os horários são às 11h e às 13h. As reservas devem ser feitas por telefone ou enviando um e-mail para visitasguiadas@espaciomemoria.ar.

Espacio Memoria y Derechos Humanos (EX ESMA)
Av. del Libertador 8151 – Belgrano
Tel: 4704-7538

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

3 comentários

  1. Caroline

    Oi gente! Tudo bem? Sempre acompanho os posts de vocês e através deles, estou montando minha viagem para Buenos Aires. Como meu maior interesse é em arte, cultura e urbanismo num geral, estou buscando esses tópicos. Ultimamente, tenho lido sobre a Usina Del Arte e sobre os grafites que foram feitos ao redor do local. Vi que existe um passeio guiado pela prefeitura nos segundos sábados de cada mês mas infelizmente, não pego o segundo sábado. Você acham tranquilo fazer o entorno dali pra ver os murais durante o dia? Obrigada!

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *