buenos aires em outubro

Os 7 erros mais comuns dos turistas brasileiros em Buenos Aires

Não trabalho com hotelaria, mas nesses vários anos de Buenos Aires já recebi e vi muitos amigos que estavam de turismo na cidade. Muitos tinham experiência de viajante, outros eram marinheiros de primeira viagem, mas todos acabaram me mostrando como é a experiência do turista aqui. Tanto é que pensando nisso fizemos um tour em português voltado para os brasileiros, o Aires Buenos Tour – City Tour em Buenos Aires.

Aqui a lista dos 7 erros mais comuns dos turistas brasileiros em Buenos Aires. A ideia não é ditar regras, mas sim ajudar. Aproveite e tente evitar cair nas mesmas armadilhas. Errar é humano, repetir o erro é burrice!

Os 7 erros mais comuns dos turistas brasileiros em Buenos Aires

a vista do escritório

1. Não pesquisar nada

Esse é o erro mais básico de qualquer viagem. Planejamento é essencial. Quem não pesquisa acaba aproveitando menos a cidade e tendo expêriencias muito mais pobres e enlatadas. Por isso pesquise, fale com os amigos, busque informações, leia blogs, revistas e guias para aproveitar a cidade plenamente. A emoção e a alegria de uma viagem não começa só quando você chega ao aeroporto, mas sim no momento que você compra a passagem. Viaje na sua pesquisa! Pesquisar e descobrir coisas no computador ou em guias torna a viagem muito mais rica e personalizada com o seu gosto.

Para facilitar essa pesquisa armamos dois ebooks:  Guia Básico: 4 dias em Buenos Aires, para aqueles que vem pela cidade pela primeira vez, e o Guia Lado B dos pontos turísticos de Buenos Aires, para os mais experientes e aventureiros.

Aproveite e veja experiências de outros viajantes na coluna DICA DO LEITOR.

2. Câmbio de moeda

Por pura falta de informação, muitos turistas acabam perdendo muito dinheiro trocando dinheiro. Informe-se sobre onde é mais vantajoso, como desbloquear cartões e todas as alternativas possíveis para levar sua bufunfa. Não troque dinheiro nas casas de câmbio que estão perto das esteiras de malas dos aeroportos de Buenos Aires. Eles pagam cerca de 20% a menos do valor oficial da moeda. No Aeroporto de Ezeiza e no Aeroparque a melhor opção é o Banco La Nación, outra maneira é ir no centro, principalmente na Calle Sarmiento perto da Calle Florida. E lembre-se de guardar o comprovante da operação de câmbio, só com ele você pode retrocar o dinheiro que sobrou.

3. Nem ao menos tentar falar espanhol

Pode parecer besteira, mas algumas vezes faz a diferença de ser bem atendido ou não. Gracias, Hola, que tal, buenos dias, cuanto sale, tarjeta de credito são palavras fáceis que qualquer um pode decorar. Mostrar que você está se esforçando para comunicar é simpático e pode garantir um atendimento melhor. Existem locais, principalmente na Calle Florida, com vendedores que falam português, mas isso é raridade.

4. Achar que Buenos Aires é um shopping gigante

Quem viaja quer fazer compras e achar pechinchas, mas Buenos Aires é muito mais que isso. Ultimamente com a inflação galopante os preços já não são aquela maravilha para brasileiros e infelizmente está cada dia mais raro achar um grande negócio. Veja todos nossos posts sobre Compras.

É óbvio que cada um escolhe o que viver e ver na cidade, mas já que você está aqui não perca toda cultura, história e gastronomia da cidade.

5. Esquecer que está em outro país

Lembre-se que você cruzou a fronteira e passou por uma aduana. Por mais perto que a Argentina esteja do Brasil, aqui os costumes são diferentes. Desde o modo de vestir, a maneira de pensar e até a comida, em tudo vemos diferenças. Já que está aqui aproveite para viver dias diferentes e ocasiões que dificilmente voltarão a acontecer. Não adianta reclamar que aqui não tem feijão ou é difícil encontrar um restaurante por quilo. Você é um turista, portanto tente se adaptar. Aí que está a graça.

6. Preocupar-se mais em tirar fotos do que viver experiências

Não é um problema só de quem visita Buenos Aires, mas sim dos turistas em geral. Ninguém olha mais a paisagem, mas sim a telinha da câmera fotográfica. Tirar fotos para a posteridade obviamente faz parte, mas acho que muitas vezes as pessoas perdem ótimas coisas quando se preocupam apenas no que vão mostrar para os amigos. Lembre-se que o que você vive, vê, escuta, cheira e saboreia é a sua viagem e isso ninguém substitui. Largue a câmera fotográfica um pouco e viva a cidade.

7. Ficar com provocaçõezinhas babacas

A rixa Brasil e Argentina aqui é limitada ao futebol. Nós brasileiros nos preocupamos muito mais com isso que os argentinos. Em geral eles adoram nosso país, nossa cultura e são muito interessados com o que acontece nas terras tupiniquins. Por isso nada mais desagradável que turista brasileiro fazendo provocação besta e gratuita em Buenos Aires.

Curtiu?

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

144 comentários

  1. Robson Tokuda

    Otimo post! O número sete então é otimo, deveria valer para qualquer bairrismo, inclusive Rio x Sao Paulo. Chega dessas disputas infantis.
    Agora, eu acrescentaria como erro: descuidar da segurança, achando que é um brasileiro descolado e mais acostumado com essas coisas que os argentinos. Nunca sair com o passaporte original, a não ser para ir trocar a bufunfa, e sempre carregar a menor quantidade possível de espécie.
    Abraços, Robson

    • Cássio

      Só uma coisa, pra viajar pra Argentina não precisa passaporte, mesmo que viaje em avião, o seu uso é desnecessário e você corre o risco de perdê-lo.
      Eu moro na Argentina há três anos, tenho residência permanente e documento argentino, voltei ao Brasil em avião e nem tenho passaporte. Só uma dica!

      • Ana

        Precisar sabemos que não precisa, mas algumas pessoas o querem carimbado mesmo que seja uma viagem para Buenos Aires.

      • Teo

        Você poderia me ajudar?
        Sou Teodora quero morar em casa de família na Argentina, você acha possível isso?
        Pretendo me mudar em fevereiro 2014.
        Qualquer coisa me encontra no face, se puder responder.
        Face (Teodora Preta)

  2. Essa do táxi com nota de 100 é clássica… Em 2009 umas meninas q estavam no meu albergue tomaram uma volta de uns 250,00 pesos com as trocas de notas verdadeiras por falsas… Isso que elas já estavam pagando 50 pesos numa corrida La Boca – Recoleta e eu, no mesmo dia, paguei 35 numa La Boca – Palermo… a das fotos é clássica tbm… eu percebo isso em show… os caras querem ficar vendo o artista de carne e osso por uma telinha de 2 polegadas…

  3. Henrique dos Santos

    Ótimas dicas ! Eu nunca comprei uma filmadora porque sempre percebi que as pessoas perdem o momento com a preocupação em gravar as imagens ( que na grande maioria das vezes ficara no fundo do baú !) . Fotos tenho tirado cada vez menos com uma máquina comum ou com o celular mesmo ,,,

  4. Angston

    Quem mora em BsAs sabe muito bem que a rixa Brasil x Argentina não é só no futebol. E se o brasileiro é que é provocado, não vai responder? Quem mora na Argentina muito tempo perde a perspectiva do turista, se vc conversasse mais com turistas saberia que eles se queixam todo o tempo e não têm as “manhas” que a gente tem. Para ser maltratado basta o mau humor do outro, falo espanhol perfeitamente e perdi a conta da quantidade de vezes em que fui maltratado. Ou seja, falar algo de espanhol não vai mudar o maltrato. Colocar a culpa no turista é absurdo. Vc tá pegando leve, mas essa coisa de tirar foto incessantemente é MUITO PIOR no caso dos brasileiros. Com o resto até concordo, muita gente só foi pra BsAs pq achou que era um shopping gigante, mas até aí conheço turistas de meio mundo que realmente se interessam ela história e estão ABERTOS a ela. Os brasileiros chegam à Argentina com uma IDÉIA do que é a história da Argentina e quando são conforntados com uma versão mais realista da história do país, se “ofendem”, não acreditam em vc etc. Acho ue brasileiro tem ue entender que quem mora na Argentina sabe um “pouquinho mais” que um turista ocasional e que ouvir uma outra versão dos fatos, no mínimo, é interessante para guarar na mente e pesquisar mais quando voltar ao Brasil. Mas em geral é triste que brasileiro só quer comer e comprar, não faz turismo cultural de verdade. Os que mais me chocaram positivamente nesse quesito foram os americanos. São incrivelmente interessados em turismo cultural. E eu que achava que eram um povo bem babaca…

    • Dan

      Você está generalizando. Sou brasileiro, já fui 3 vezes a BsAs, nunca fui “maltratado”, mergulhei na vivência da cidade. Existem brasileiros e brasileiros. Americanos e americanos. Argentinos e argentinos. Se é q vc me entende…

      • Angston

        Essa de “generalizando” é ótimo! Já percebeu que as pessoas só generalizam PARTICULARIDADES? É porque elas existem! Eu não acredito em vc. Morei ANOS E ANOS em BsAs e só oucó brasileiro reclamando. Vc deve ter ido a Buenos Aires que fica em Pernambuco, não foi não? =) Saludos!

      • Angston

        Ah, só mais uma coisa: vc, como a Luana, parece só ter lido a parte do maltrato no meu comentário. Leia o resto, please! Saludos!

      • Dan

        Então Angston, “no geral” eu concordo com tudo q vc fala, porém substiuindo o “brasileiro faz isso, faz aquilo, brasileiro é assim” por “tem brasileiro que faz isso, grande parte dos turistas brasileiros é assim”.

        Porque senão vou ter q procurar saber de que nacionalidade sou, uma vez q não to no seu “padrão do turista brasileiro”.

        Conheço muito além da calle Florida. A feirinha (e os restaurantes) da Plaza Serrano são incriveis. Recoleta é um bairro pra se perder e conhecer cada esquina. O Trem de la Costa para ir ao parque. Os bares/botecos do centro. A festa Severino na segunda-feira. A simpatia dos argentinos (sim, existe!). Enfim, talvez eu seja um caso a parte, mas adoro a cidade e penso em quem sabe passar um tempo estudando espanhol.

      • Vanessa

        Fui a BsAs e amei, fui muito bem tratada, porém é nítido o tratamento frio e seco das Portenãs que não fazem a menor questão de serem simpáticas ou atenciosas. Nas lojas, mesmo gastando milhões rs não consegui arrancar um sorriso das caras das Vendedoras. Mas nem liguei para elas, deve haver uma pontinha de ciúmes rs.
        Com exceção disto, amei a cidade, e fui extremanente e respeitosamente bem tratada pelos demais.
        Já os taxistas precisa ficar bem espertos, pois além de tentarem te enrrolar com notas falsas na cara dura, eles rodam a cidade inteira para te deixar em um local que teria menos de 2 Km de distância!
        Mas todo o resto é muito positivo! Voltarei com certeza.
        Abraço,

    • Eu moro em Buenos Aires e concordo com o Tulio, “a rixa Brasil e Argentina aqui é limitada ao futebol. Em geral eles adoram nosso país, nossa cultura e são muito interessados com o que acontece no Brasil”, e sempre querem saber onde fica isso onde fica aquilo… não tem nada a ver com o pensamento do brasileiro… mas claro, se tocar nas palavras Pelé e Maradona…. sai de baixo!!!

      E também acho que o brasileiro deveria se esforçar um pouquinho mais em falar um mínimo de espanhol… acho que é por isso que todos se espantam quando digo que sou brasileira, porque me esforço bastante para falar bem e aprender cada vez mais e eles não estão acostumados com este tipo de atitude…

      • Angston

        Deve ter muitos brasileiros assim, mas EU não sou um deles. Mas tranqui! Eu não vou pedir pra vc “não generalizar” como nosso amigo acima, pq eu sei que generalizamos particularidades e essa pode ser sim uma particularidade dos turistas brasileiros mais AFOITOS em BsAs. Eu não sou exemplo disso, mas tb tenho váaaaaaarios. Agora, eu solicitaria que vc prestasse atenção nos argentinos no exterior. Igualzinho. Saludos.

      • Angston

        Ah, só mais uma coisa: vc, como o Dan, parece só ter lido a parte do maltrato no meu comentário. Leia o resto, please! Saludos!

    • Luiz

      Eu concordo com o Angston. A rixa vai além do futebol. Muitos deles são recalcados e se consideram superiores, como se fossem a Europa dentro da América Latina.

      Eu sou filho de espanhóis e falo castellano relativamente bem. Anos atrás, quando a moeda deles valia o DOBRO da nossa, visitei aquele pais com a melhor das intenções, também achando essa rixa uma “babaquice”. Apesar de me comunicar na língua deles o tempo todo, eu e minha esposa fomos maltratados quatro vezes na Argentina… e não tinha nada a ver com futebol!

      Quem acha que os problemas se restringem a nós brasileiros, está muito enganado. Precisam ver a opinião que o resto da América Latina tem deles. Os chilenos, então, nem se fala! Aliás, o Chile sim que é um grande país a se visitar. Fui duas vezes, uma delas de passagem, e não me arrependi em nenhuma, muito pelo contrário. Tive grande prazer em conhecer aquele país.

      Essa história da língua é relativa. Se eu vejo turistas aqui no Rio, procuro tratá-los com educação e, se for necessário, me comunico em inglês ou espanhol de forma ajudá-los e tornar a experiência deles na cidade a melhor possível. Procuro tratar bem, da mesma forma que gosto de ser bem tratado quando visito um outro país. Se não falo a língua deles, nem por isso deixo de ser gentil e educado.

      Acho que quem se deslumbra com a Argentina hoje deveria tê-la conhecido nessa época em que a moeda valia o dobro da nossa. Provavelmente teriam uma opinião bem diferente da que têm hoje. Aliás, ouvi dizer que os brasileiros são muito bem recebidos. Mas agora não adianta. Se me trataram mal, é porque minha presença não era importante. Então não volto mais lá.

      • Daniel

        Fui muito bem tratado em Buenos Aires, mas eu e minha esposa não escapamos de ouvir um “voltem para o seu país” de um cara que não faço a minima idéia de quem seja. Passou por nós na rua e gritou isso a plenos pulmões…

      • GUSTAVO

        Amigo, saí com uma PÉSSIMA impressão de Buenos Aires. No café Tortoni, para sermos atendidos, foi uma novela. Fui perguntar um endereço na rua, o cara simplesmente me ignorou… Por aí vai. Acho que essa questão do idioma não é desculpa para tratar alguém mal. Um país …. em situação econômica delicada – para não dizer outra palavra – como a Argentina, deveria tratar melhor seus visitantes. E se algum dia encontrar algum Argentino (ou de onde quer que seja) aqui no Brasil, farei questão de ajudá-los no que procuram, seja em que idioma for! Fui ao Chile, Estados Unidos, México que deram um show de receptividade e hospitalidade conosco. Por esta razão, já fiz VÁRIOS amigos desistirem da ideia de ir pra Argentina, indicando Chile ou Uruguai, por exemplo.

        • Marcia

          Verdade, me senti meio mal no Café Tortoni tb, eles não estão nem aí, e olha que tava vazio o estabelecimento. Quando fui em Porto Madeiro, jantei no Siga la Vaca, e foi muito estranho, depois que serviram a sobremesa, correram para me entregar a conta, mas não tinha intenção de ir embora, ainda estava tomando vinho…perguntei se tinha que pagar naquela hora e se tinha que ir embora, e eles me disseram que tinha que pagar, mas não precisaria sair…mas a impressão que me passaram era que era pra pagar e sair, já que eu já tinha jantado. Paguei e fui embora. Lugar enorme e vazio. Não entendi…mas ouvi dizer que essa história de ficar horas no lugar onde se come é coisa de brasileiro mesmo. Mas isso só me ocorreu na Argentina.

          Meu irmão disse que foi pegar um táxi em B. Aires e abriu a porta pra esposa dele entrar, ele fechou, pra dar a volta e entrar do outro lado, e ao fechar a porta dela o taxista saiu andando o deixando pra trás, ele bateu no carro e o taxista ficou p.

          Quanto ao Chile, eu amei. Pessoal simpático, ao contrário dos argentinos, eles tinham paciência pra entender o que eu queria…Santiago é muito interessante, aquele shopping Arauco é um espetáculo….caminhar nas ruas da capital é muito bom. Pretendo voltar ao Chile, mas na Argentina ainda não sei. Fui a Espanha com receio, pois teve uma época que estavam barrando a entrada de brasileiros e fui muito melhor atendida em Madrid, onde já me disseram que é o povo mais metido da Espanha…o mercado central foi maravilhoso, a Casa do Jamón fui tão bem atendida que voltava direto lá.

          Vc tem razão, a questão da língua não pode importar, quem é gentil dá um jeito de entender e ser entendido. Em Marrakesh, que falam árabe e francês, uma camareira tentava conversar comigo, em francês, e fazia várias mímicas pra que a entendesse e sempre sorrindo, e por incrível que pareça eu entendi tudo o que ela queria me falar. Questão de interesse né, de povo educado.

  5. Paulo Torres

    Sobre trocar dinheiro, o que fiz quando estive em BsAs foi sacar pesos direto da minha conta corrente brasileira. A conversão foi feita por uma taxa melhor que das casas de câmbio (semelhante à do Banco La Nación), e a única taxa cobrada foi de 12 pesos por saque. Praticidade total, já que qualquer máquina com as bandeiras Visa Plus ou Maestro me atendia. Recomendação: confirmar antes de viajar se seu banco oferece essa possibilidade e se o seu cartão é liberado para isso.

  6. Adriana

    Ótimo post Túlio…quem vai conhecer um outro país tem que estar aberto ao convívio com a realidade local e despir-se de “pré-conceitos” .

    • Angston

      Realmente. Eu tb acho um “pré-conceito” já ir pra Argentina achando que é a Europa da Am. do Sul e que no Brasil tudo é uma m… É um pré-conceito. Com o tempo, as pessoas vão vendo muitos matices e a falsidade das visões anteriores. Aliás, o blog anterior do Túlio era bem mais mal-humorado em relação a BsAs, mas agora ele deu pra pegar leve. Enfim!

  7. Perfeito, gostei muito dos tópicos, o 7 então muito bom! saindo um pouco do lado turista, serve também pra brasileiras casadas com argentinos, que na minha opinião se casam com argentinos e não querem que os filhos torçam ou gostem de algo ligado ao futebol argentino, eu não consigo entender,tem filhos com eles e o filho só tem que gostar do lado brasileiro, complicado isso..eu particularmente explico pra minha filha que o papai é argentino, a mamãe brasileira e ela é 50% de cada um, e falo o que é necessário de ambos países, não tenho isso de enfatizar um ou outro… E como turista fiquei surpresa com a educação em todos os gêneros comparados a nossa e com o interesse e conhecimento que os argentinos tem em relação ao nosso país e outros também (meu esposo parece um mapa mundi ) e como moradora nunca fui maltratada, mas temos que ser espertos com o lance das notas falsas e com alguns que como em todo lado querem tirar proveito do outro, tirando isso, sou apaixonada nos dois países e não deixo ninguém falar mal da Argentina perto de mim…

  8. Armaldo

    É ridiculo para um brasileiro não falar nem um pouquinho de espanhol e achar que falando cueca cuela já esta abafando!

  9. Teresa Rocha

    Eu recomendo atualmente , muito cuidado com a segurança principalmente em subte, Calle Florida e locais com muitas gentes. No mais é aproveitar e usufruir da cidade apesar de tudo esta tao caro atualmente. É uma cidade para andar , entrar nas cafeterias, ouvir tango nas ruas…

    • Angston

      Concordo! Há que se desfrutar, apesar de tudo! Mas sempre sendo bem realista. Eu não sei pra que serviço de turismo as pessoas trabalham pra continuar com essa ladainha de que “argentino nunca me tratou mal” e “é bem mais barato que no Brasil”. Francamente. Deve ser para que quem não sabe de nada nada nada ainda se sinta encorajado a ir pra Argentina, isso dá uma segurada na economia. Mas tem bem pouco turista já, bem pouco, cada vez menos. Agora só vai quem não tem limite no cartão mesmo.

      • cara, vc ODEIA a argentina hein? por que se dá o trabalho então? vc devia relativizar mais e separar as suas experiências ruins do que realmente acontece com a maioria das pessoas que vão pra bsas…

      • Ana

        Agston é um chato. #FATO

        As pessoas não irão se convencer de que os porteños tratam mal os turistas só porque vc está dizendo. Temos que ir e comprovar se de fato é isso. E queremos ir e vamos e vemos que não como vc está dizendo. Cada pessoa tem a sua experiência.
        E presta atenção como vc fala por aqui e como vc trata as pessoas. Como pode esperar que alguém te trate bem se vc só fala grosserias?

  10. Robson Tokuda

    Oi, Túlio!
    Estive em BsAs na semana retrasada, como “turista brasileiro”.
    Na Galerias Pacifico fomos ao CC Borges, e ao perguntar sobre os espetáculos de tango, a recepcionista me respondeu: “No”. Insisti, e ela respondeu: “Lunes”. Claro que não fiquei satisfeito com a resposta, mas fiquei por ali, fotografando o lugar. Uma moça chegou a seguir, e pela conversa fluente dela, percebi que era portenha. Depois de uma longa pergunta, ela recebeu como resposta: “No, Lunes”. E garanto que o “Lunes” dela foi ainda mais cortante que o meu, tipo sem-mais-perguntas.
    No terceiro dia tive minha carteira roubada 🙁
    Fomos a delegacia federal, registrar o ocorrido. O sonado policial (era bem cedo de manha) não foi especialmente cordial, mas tentou ser útil no possível. Ele ainda estava fazendo minha ficha, quando chegou um senhor argentino. Ele começou a atender, e de repente eles estavam discutindo. Pelo que entendi, o policial queria que o senhor voltasse com a filha, pois a ocorrência a envolvia. Aí o tal senhor ameaçou voltar com um advogado, e o policial cortou na hora: “se llama um abogado, converso com su abogado”. Desculpe meu “espanhol”.
    Resumindo: fomos maltratados em BsAs? Siiiii! Por que somos turistas brasileiros? No”, porque ainda existem pessoas mal educadas no planeta – em BsAs e em qualquer outro lugar! Isso atrapalhou nosso passeio? De forma alguma, nem o roubo da carteira deixei atrapalhar!
    Abs,
    Robson

    • cara, o que acontece em bsas agora é que, como todo país mal gerido, no caso aqui pela Kristina, o país sente a criminalidade aumentar muito rápido… bsas ficou mais perigoso muito rapidamente. ainda assim me sinto muito mais segura do que no Brasil. O que pega é que os batedores percebem quem é turista, que geralmente são mais barulhentos, animados, enfim. é preciso ter cuidado! a argentina é linda mas não é mais o que era décadas atrás.

    • Samaly

      Oi Pessoal eu moro em BsAs a 4 anos e conheço muito dessa cidade, durante esse tempo nunca fui maltratada, temos que considerar que os Argentinos tem uma cultura diferente da nossa, principalmente em relação a convivencia, cuidam mais da propia vida. Claro que como em todo o mundo tem pessoas mal educadas e grosseiras, mas não podemos generalizar. Sempre fui muito bem recebido nos lugares, trabalho de guia turistica para brasileiros, e sempre explico todos esses pontos, mas é curioso que todos que me procuram, perguntam por la parte cultural e gastronomica da cidade. Aqui tem muitos restaurantes maravilhosos e relativamente baratos. BsAs ja FOI uma cidade pra gastar com comprar, hoje n vale a pena gastar o tempo. Antes de vim tem que pesquisar. É uma cidade que tem muito pra oferecer culturalmente, mas como qq outra capital tem que priorizar a segurança. Grande beijo!!!

  11. Robson Tokuda

    Completando o post da manhã (desculpe eu ser tão prolixo!): encontramos muito mais pessoas educadas e simpaticíssimas que os grosseiros de plantão. Esses temos que aprender a lidar em qualquer lugar, mesmo. E a única provocação que ouvimos, e em tom bem jocoso, foi a do guia da Casa Rosada, que ao apresentar o famoso balcão, afirmou: “aqui que receberemos a nossa equipe de futebol quando conquistarmos a copa de 2014, lá no Brasil”! Claro que discordamos dele!
    Por ultimo, gostaria de agradecer ao ótimo guia gastronômico do blog! Deu muito mais colorido para nossa viagem, seguimos sempre que foi possível. Fomos ao Guerrin, ao bistro da Dada, na Panaderia del Pablo… Todas ótimas dicas e com ótimo custo beneficio!
    abs,
    Robson

    • Que ótimo, Robson! Bom saber que vcs curtiram. Uma provocaçãozinha futebolística não faz mal a ninguém, o que acho chato é quando parte para o desrespeito. Tanto dos locais quanto dos turistas. Grande abraço!

  12. Tatiane Azevedo

    Muito útil as informações contidas nesse blog, vou viajar no ano que vem para Buenos Aires, e gostaria de algumas dicas, vou viajar sozinha, pensei em ficar em hotel, mas achei mais caro, e pelo que eu pesquisei, os hostels estão bem mais em conta, e sem falar que terei mais facilidade em conhecer pessoas.
    Vocês poderiam indicar algum hostel que seja bacana?

    Grata

    Tati

    • Vagner

      Olá Tatiane, bom dia! Estou indo agora em novembro para lá e vou ficar no MIlhouse Hostel, bem no centro da cidade…alguns amigos já ficaram duas vezes lá e não querem pensar em outro lugar… muita gente jovem, muita animação, passeios, aulas de tango, aulas de espanhol, balada no próprio hostel todos os dias…ingressos e transporte para jogos de futebol e para as melhores baladas. Conheceram pessoas do mundo inteiro por lá, inclusive brasileiros…. acesse o site deles e confira: http://www.milhousehostel.com . Efetuei minha reserva pelo próprio site e horas depois me confirmaram, um atendimento perfeito até então. Eles têm a opção de quartos coletivos com ate 8 camas e quartos individuais.. como estamos indo em 3 pessoas optamos por um quarto individual triplo e vamos pagar por 7 diárias menos de 200 dólares por pessoa. Confira lá! Abração!

      Vagner

  13. Pingback: Primeiro finde de primavera! « Buenos Aires, queridos.

  14. Juliana Jorge

    Post maravilhoso, dicas válidas com certeza…Já fui a Buenos Aires 3 vezes e em todas elas consulto o seu blog, o da Mariana (myvillacrespo) e o Buenos Aires para Chicas. Foi até engraçado vc mencionar sobre as fotos…rsrsrsrs….esse semana mesmo, eu estava reclamando que tirei poucas…mas é como vc disse: VIVA A VIAGEM!!!! Abraços,

  15. Compensa ir em Buenos Aires em 2013? Ás coisas estão caras ou baratas? É em que época de 2013 você me recomendaria ir? Tipo, estou com um pouco de dúvidas em fazer a primeira viagem fora do Brasil, não sei como usar o dólar, rs

  16. vale a pena hoje, trocar o dolar no centro a 8,20 pesos, no cambio blue e comprar na volta no free shop da argentina onde se cotiza a 5,10.

  17. Silvia

    Creio que uma forma simples de se entender as diferenças é viajando dentro do próprio Brasil. Sou paranaense morando em Salvador há 3 anos e em constante aprendizado. Aprendi que não se deve levar a mal, cada região tem um costume… no sul percebo que o atendimento em lojas e serviços é melhor do que aqui, povo sorri mais, mais educado etc. Em compensação aqui é muito mais fácil fazer amizade pra sair, passear, do que no sul, onde no geral cada um cuida da sua vida… nao é que um ou outro esteja certo ou errado, é questão de costumes, por vezes influenciado pelo próprio clima. NO clima frio as pessoas se incentivam menos a sair… ao menos sao essas impressões que eu tenho. Também já me falaram que em BAs as pessoas nos tratam mal… alguem aqui falou que comprou milhoes e nao conseguiu arrancar um sorriso das vendedoras… hehehe, lembrei que quando estive em Paris com uma amiga, mesmo ela falando um inglês razoável, as vezes nem precisava abrir a boca e o atendente já dizia: voces sao brasileiras? E em toda parte as pessoas nos olhavam e já falavam algo em português, até que minha amiga não resistiu e perguntou como eles sabiam… e um atendente português na Disneyland Paris disse que conhece brasileiro pelo sorriso, brasileiro sempre chega sorrindo em todo lugar, disse ele.

  18. Excelente blog Tulio!! Muchas gracias por fazer uma crítica constructiva que tenta abrir um pouco a mente dos turistas. Acho que com coisas assim é que se ganha em todos os aspectos. Eu sou Americano de nascimento e tambêm Argentino por haver sido criado em Buenos Aires. Conheço “um pouquinho” a cidade. Nos últimos anos muitos turistas brasileiros viajaram para Buenos Aires. A maioría deles volta com uma boa imagem, mas nao todos. Eu acho que quem lê seu blog vai ter mais chances de aproveitar melhor a viagem.
    (1) Sobre isso de nao pesquiçar nada, concordo … é típico dos brasileiros. Especialmente para os mineiros que nao estao muito acostumados a viajar fora de MG e Espíritu Santo. Realmente é uma pena que muitos turistas brasileiros nao saibam conhecer a cidade, caminhando em vez de ficar fazendo compras. Parece que os brasileiros de conformam com tirar fotos nos lugares típicos e pronto. Eu vejo isso em Buenos Aires e tambêm em outros países.

  19. 2) Cambio de Moeda: A situaçao na Argentina está complicada neste assunto, graças ao governo korrupto dos Kirchner. Os brasileiros tem que saber que para ter um melhor tipo de cambio é melhor trocar Reais por Pesos em pontos que se usa o valor paralelo (nas “cuevas”), nao no aeroporto, nao em uma casa de cambio official. Nao deixar trocar para o fim de semana quando tudo esta fechado.. O problema aqui é o risco de pegar notas falsas. Sejam cuidadosos na hora de pagar um taxi… muitas vezes os taxistas fazem um golpe típico que consite em trocar a nota que o turista entregou por outra fala, sem ele perceber… e depois dizer “Ahhh, este billete es falso che!!! Sinto muita raiva por isto, porque alêm de perjudicar pessoas que estao viajando perjudica muito a imagem de nosso país no mundo, e com os brasileiros aumenta aquela estupidez da rivalidade entre os dois países. Fiquem atentos, vocês podem ANOTAR O NUMERO DE SERIE de cada nota antes de pagar, ou tirar uma foto… ou mostrar ao taxista “Olha, estou te pagando com esta nota com este número de serie”

      • Luis

        Dietl, vc trabalha para desprestigiar o goberno argentino? Quem é corrupto é Macri o prefeito de Buenos Aires, que tem a cidade suja e nao fez campanha para tratar bem aos turistas. E “juancito”, respeite o 54% dos argentinos que votó a este goberno. Vc tem raiba por que o goberno argentino trabalha para seu povo, e a gente com vc e macri trabalham para os que rouban ao povo.

  20. (3) Nao falar ou nao tentar falar um mínimo de Español acho uma falta de educaçao enorme. Os turistas que chegam gritando, falando português sem nem dizer “bom dia” nem em português nao podem reclamar de nada depois se eles sao mal tratados. Na Argentina, ou em qualquer outro país, ninguêm tem a obirgaçao de falar português. Gastar “milhoes” tampouco da o direito de ser soberbio e mal educado em outro país seja qual for, Acho que qualquer um pode aprender a dizer “Buenos días”, “gracias”, etc.. o idioma español nao é tao diferente como para usar isso de disculpa. Usando algumas palavras em español demostra respeito e interesse, e provávelmente você vai ser tratado melhor

  21. (4) Achar que Buenos Aires é um shopping gigante… concordo 100%, é típico de muitos brasileiros dar mais importancia as compras que CONHECER um lugar. Para mim.. viajar é muito mais que comprar e voltar com malas cheias e vazío de lembranças.

  22. 5) Na Argentina NAO SE COME arroz e feijao, para isso vocés tem o ano todo no Brasil. (Nem que o arroz e feijao fosse a comida mais gostosa do mundo) pffffff !! Buenos Aires é para comer CARRRRNE , a melhor do mundo. As melhores Parrillas estao em Puerto Madero ou em Palermo.. “La Cabrera” é excelente. Outra coisa: Na Argentina nao se come “picanha” os cortes sao diferentes. Aproveitem para comer TIRA DE ASADO, BIFE DE CHORIZO, etc… de acompanhamento saladas .. nada de arroz.

  23. (7) Tal vez o ponto mais interessante para discutir. Concordo totalmente. Eu acho que o brasileiro se preocupa demasiado com a questao da rivalidade. Geralmente (nao sempre) a maioría dos Argentinos nao tem nenhum tipo de problema com os brasileiros, nos gostamos das praias e da Cidade Maravilhosa RIO! Gostamos da música brasileira e respeitamos Brasil como país. Eu moro em Belo Horizonte há quase 3 anos. Morei em Buenos Aires e nos Estados Unidos por muito tempo. Eu nao sou un turista occasional que opina sem ter muita experiência. Os brasileiros deveríam aprender a separar o futebol de outras coisas, e aprender a conviver melhor, sem provocar sem necessidade. Futebol é um esporte maravilhoso, mas só um esporte!

  24. Denilson Oliveira

    Esqueceu de um muito bom: sair pelas ruas de Buenos Aires com a camisa da seleção ou de times brazucas

  25. Ricardo

    “A rixa Brasil e Argentina aqui é limitada ao futebol. Nós brasileiros nos preocupamos muito mais com isso que os argentinos. ”

    Desculpe, mas isto definitivamente não é verdade. Morei um ano em Bs As como intercambista (estudo economia na UFRGS) e posso opinar com conhecimento de causa, até porque voltei faz apenas um mês.

    Pode ser verdade para o turista, pois o contato é superficial, o brasileiro hoje em dia tem dinheiro (e o argentino, não), o câmbio nos favorece e tratar bem é fundamental. Mas não para quem vive. Argentinos são especialistas em provocações sutis ou abertas, em gozações fora do lugar, em ridicularizações grosseiríssimas com quem não conhecem e assim por diante. E fazem isso com brasileiros com muita frequência. Qualquer vitória do Brasil em qualquer campo (econômico, político, geopolítico, esportivo, etc) repercute muito na imprensa de lá e a reação vem em seguida. As vezes ela é positiva, de admiração (também coleciono várias histórias de argentinos me dizendo que o Brasi é uma potencia, que é admirável, que o Lula é isso e aquilo, que somos modelo pra América Latina, ,etc. etc.). Mas às vezes, o recalque bate, e bem forte. O que não falta na Argentina é colunista econômico ou político falando mal do Brasil de uma maneira que nenhum profissional brasileiro falaria da Argentina, misturando gozação de futebol com “análise econômica” e demonstrando um ressentimento ultra-besta. Ou colunista esportivo com cegueira patriótica de fazer inveja ao Galvão Bueno, dizendo em jogo do Brasil que “los macacos” estão “locos” (“macacos” é o termo genérico para brasileiros lá, não tão usado hoje como já foi, mas ainda assim imediatamente reconhecível por qualquer argentino). Poderia dar dezenas de exemplos aqui desse tipo de coisa. E que eu sei que não ocorre com argentino que visita o Brasil, até porque a Argentina tem uma exposição midiática aqui mto menor do que a nossa lá.

    Aliás, estou pra ver falta de profissionalismo como vejo na imprensa deles, que é descaradamente partidária ou puxa-saco do governo ou da oposição. Saudades de ler a “Folha” ou o “Estadão”, onde se faz jornalismo de verdade.

    E mais sobre provocações bestas e gratuitas, que o autor do texto tenta dizer que são coisas específicas dos brasileiros: eu sou do RS e quem conhece as praias gaúchas e catarinenses conhece histórias infindáveis de provocações gratuitas e bestas por parte deles da época em que vinham aos montes pra cá. Mas assim, histórias infindáveis mesmo. Logo, é bizarro querer dizer que isso é uma característica tipica de brasileiro. Todo gaúcho ou catarinense pode confirmar o que estou dizendo.

    O brasileiro é, ISSO SIM, reconheço, bem melhor tratado do que qualquer outro estrangeiro (leia-se, bem melhor do que qq latinoamericano). Isso nenhum brasileiro que viveu lá negará. Ou mesmo argentino do Norte do país (Salta, Jujuy, Formosa e outras regiões mais ‘indígenas’), que são tratados basicamente como ratos de esgoto e seres inferiores. O que ouvi de bolivianos, paraguaios e peruanos da boca de COLEGAS DE UNIVERSIDADE não tem paralelo com nada do que tenha ouvido na vida, são coisas simplesmente inconcebíveis.

    Por outro lado, reconheço que PARTE desse problema é a imigração ilegal de pessoas muito pobres. Não há imigração de brasileiros pobres aqui (a imigração de argentinos pro Brasil é muitissimo maior), logo, o brasileiro ali é um imigrante mais qualificado ou um turi$ta. Nos dois casos, uma pessoa desejável. O brasileiro não sofre mesmo esse tipo de discriminação, mas as gozações e provocações, repito, existem, e às vezes são bem pesadas. No Brasil poderiam motivar processo facilmente.

    Enfim, sei que essas dicas foram feitas para quem quer visitar o país como turista, passar uns dias, então nem valeria, em tese, a pena entrar nessas discussões aprofundadas. Pra quem quer somente visitar o país concordo que é bom nem pensar nesses assuntos. Apenas quis comentar aqui para deixar certas coisas claras e não ficar parecendo que o brasileiro é o malvadão discriminador contra o coitadinho do argentino.

    Em suma, pra quem quer apenas visitar e curtir umas férias numa boa, arejar a cabeça, façam como nosso querido ex-presidente FHC disse: esqueçam o que eu escrevi, hehehehehe

    Cumprimentos a todos e boa viagem!

  26. Alex Berg

    Hola yo soy Argentino, y me gustaria que cuando hablen de Argentinos no piensen que el porteño ( que mora en Bs As) es el Argentino promedio, concuerdo con que los porteños se creen superiores y son soberbios pero el resto del pais no es asi. Abrazo grande desde Obera Misiones…….y yo Amo el Brasil

  27. Gomes

    Nao falar ou nao tentar falar um mínimo de Español acho uma falta de educaçao enorme. Os turistas que chegam gritando, falando português sem nem dizer “bom dia” nem em português nao podem reclamar de nada depois se eles sao mal tratados. Na Argentina, ou em qualquer outro país, ninguêm tem a obirgaçao de falar português.

    **********************
    Engraçado ….. mas estadunidense ou inglês, ou outro babaca estrangeiro, que chegam disparando em INGLÊs no Brasil, em Buenos Aires ou no mundo que nao fala inglês, podem fazer essa babaquice em inglês, e todo mundo fica com o rabinho entre as pernas, querendo responder tudo em ingrês, nem que seja macarrônico ^^

  28. Não sei se alguém escreveu isso aqui, mas algo que já li (e pelo que li era uma frase de um Argentino), “o Argentino odeia amar o Brasil e o Brasileiro, ama odiar a Argentina”. Levamos (Argentinos e Brasileiros) tudo numa boa e de forma saudável e acabou.

    Já conheci argentino (fora os portenhos) e realmente eles foram, em um número absoluto, mais simpáticos e “gente boa”. Mas é a mesma coisa no Brasil, achar alguém – em um grande centro – com tempo para lhe explicar tintin por tintin como fazer para chegar no seu destino no mar de gente com pressa para chegar em algum lugar, é difícil. Ou ainda, um atendente que esta mais acostumado a ter clientes malcriados, humorados ou simples nojentos… não está acostumados a ter um cliente sorridente querendo ser simpático ou ainda fazer amigos. Acho que para isso se esforçar no espanhol é uma boa, ser simpático independente do tratamento também.

    Parabéns pelo blog Túlio!!!

  29. Fui 2 vezes à Argentina. Conheci Buenos Aires, Ushuaia e Calafate. Sempre fui bem tratado.

    Mas como avisaram, cuidado com furtos. São bem comuns as histórias, a despeito de que nunca fui roubado.

    Tem um ditado que diz: “brasileiro ama odiar os argentinos, e os argentinos odeiam nos amar.”

    piadas a parte, esta tal richa é mais globo e tv que outra coisa.

  30. Lúcia

    Boa noite, vou a Buenos Aires a primeira vez. Gostaria de saber se alguém pode me indicar algum hotel que fique no centro da cidade.

  31. Waldirjt

    Estou em Buenos Aires é minha primeira vez até o momento estou sendo oito bem recebido!!!
    E outra dêem gorjeta vc será muito melhor atendido

  32. Oi Túlio, estou com uma duvida, vou morar na argentina, mas meus pais q iram me bancar. Quero saber se transferências bancarias são uma boa opção para meus pais me mandarem dinheiro?

    • Túlio Bragança
      Author

      Sim, é a opção mais segura. Outra opção, mais arriscada porém lucrativa, é trazer a grana em cash de tempo em tempo e trocar no paralelo.

  33. Eu preciso dizer o quanto esse blog me ajuda!!! Viajarei no sábado e li todo o material durante dois meses. Sinto-me como uma especialista em Buenos Aires. Li tantos outros blogs também, acabei retirando o melhor de tudo, mas aqui eu me sinto em casa. Sem rodeios, sem enfeites exagerados, tudo bastante direto e coeso. Sobre o post, já tinha lido duas vezes e esta é a terceira. As informações são altamente importantes e precisas. Vi muito blog do pessoal que já visitou Buenos Aires e realmente dá a impressão que estão mais preocupados em mostrar ao mundo a aproveitar as delícias e belezas de uma cidade tão cosmopolita. Bem, cada um escolhe o que melhor acredita, mas eu prefiro mesmo é curtir bastante a cidade, namorar muito com meu marido e ter memórias perfeitas.

  34. Robison

    Olá! Estou em punta del este e acabei esquecendoei RG E PASSAPORTE estou apenas com a Cnh o que faço? Consigo atravessar de buque buss?

  35. Túlio, boa tarde!

    Para troca de câmbio, é preciso algum documento específico? Já ouvi falar que precisa até passaporte pra poder trocar a grana!
    É sério isso? Ou só a identidade serve?

    Aliás, minha identidade é de 2006. Consigo entrar com ela?

    Abraços!

    • Túlio Bragança
      Author

      Se vc entrou com identidade no país eles pedem identidade. Nao tem problema ser de 2006, só se vc fez operação plástica que mudou a cara toda desde então! 😛

  36. Cristiane

    Túlio, preciso de sua ajuda. Vou para Buenos Aires no reveillon. Poderia me indicar uma empresa que trabalha com turismo aí. Explicando melhor, que programe passeios como 01 dia ir ao zoológico, outro dia ir a uma praia próxima. Pode ser empresas diferentes também. E outra coisa o que me indica para o reveillon, coisa simples, nada sofisticado. Obrigada.

  37. Kate

    Estou indo para Buenos Aires agora em outubro e gostaria de saber como costuma ser o clima nesta época do ano?

    Obrigada!

  38. João gabrierl

    Túlio, estou indo com a minha filha de 12 anos e minha irmã agora em Novembro.
    Estou preocupado com a questão da troca de dinheiro.
    Que dica vc me da?
    Outra questão é o que vestir, que dica vc nos dá?

  39. robson

    Fui uma única vez em Buenos Aires e gostei.Estive lá em 2006.A gastronomia,a cultura,a arquitetura são imperdíveis.Lá também tem bons parques , cafés e museus. Não sei como está agora.

  40. Mota

    Tulio, boa noite,

    Venho acompanhando seu blog desde que decidi viajar para BA mo início de 2015. Tenho procurado informações sobre a aceitação de Cartão de Crédito em restaurantes e alguns amigos relataram que tiveram dificuldades em alguns estabelecimentos. Isso pode se tornar um problema ou não?
    Grato.

    • Túlio Bragança
      Author

      Olha, eu diria que metade dos lugares não aceita. É sempre bom ter dinheiro vivo em mãos.

  41. Olá Túlio, estou indo pela primeira vez em Buenos aires em Janeiro, sozinha curtir e viver essa linda e romantica Buenos Aires. Obrigada pelas dicas…quando chegar ai irei te procurar para saber de mais dicas pessoalmente. bjs

  42. Cleiton Rodriguez

    Fui à Buenos Aires pela primeira vez a passeio,em setembro de 2010,em plena primavera.
    Gente!Como é linda esta cidade na primavera.Na minha opinião é a melhor época do ano para visitá-la;o clima é ameno,com temperaturas ao redor de 25 a 30 graus,e a beleza das flores de jacarandá enfeita todas as ruas…beleza única!.Recomendo: Puerto Madero,La Boca e os bosques de Palermo.
    A arquitetura daqui é um charme! É como caminhar pelas ruas de Madri ou Paris.Destaque para os “hermosos” edifícios do microcentro(como é conhecido a região central da capital).
    Quanto a antipatia,isso é exclusivo dos porteños(os cidadãos da capital),pois se voce for visitar cidades como Mar del Plata e Rosário por exemplo,vai perceber que as pessoas de lá são muito mais atenciosas e simpáticas,talvez por serem cidades do interior,mas também são muito lindas.
    Mar del Plata então é parada obrigatória pra qualquer turista.É uma cidade fantástica e muito tranquila(exceto no verão,quando fica lotada de turistas e os hotéis caríssimos).
    Eu vivo em Buenos Aires já faz 4 anos.Com relação a gastronomia argentina,eu demorei um bom tempo pra me acostumar,pois na comida daqui não costumam usar muito tempero como no Brasil.Aliás nem sal eles costumam colocar na comida…fica a gosto do cliente.
    A Argentina é um ótimo país para visitar.O argentino é muito culto e inteligente;tem seu lado bom e ruim,como em qualquer parte do mundo.Eles amam a vida noturna.

    • Túlio Bragança
      Author

      Banco de La Nacion no oficial, no paralelo muita gente recomenda o cambio justo

  43. Andressa

    Alguem podia me dizer um roteiro de 4 dias? Somos 4 amigas q estamos indo passar im fim de semana, nao conhecemos nada. Bjos

  44. Thaís

    Olá, obrigada pelas informações, muito esclarecedoras! Só fiquei com dúvida em uma coisa: a moeda. Não consegui entender direito qual moeda levar (real, dólar, etc) pra que tudo seja mais vantajoso. O nosso dinheiro é de fato mais valorizado que o peso? Obrigada pela ajuda.

    • Túlio Bragança
      Author

      Thais, o real é mais valorizado que o peso. O ideal é trocar aqui no mercado paralelo.

  45. Oi Túlio. Estou indo pra Buenos Aires passar uns 5 dias, finalzinho de junho e começo de julho. Você acha devo levar roupas pra frio forte? Ou algo mais leve como uma jaqueta e um moleton por baixo resolveria?

    • Túlio Bragança
      Author

      Traga roupa pra frio forte! Procure aqui que temos um post falando sobre que roupa usar e damos várias recomendações. Abs

  46. Aguinaldo Oliveira

    Olá Túlio, não tenho passaporte e estou indo para a Argentina entre os dias 17 e 20.05.2015 com meu RG atualizado. Se precisar trocar reais por pesos em locais confiáveis, conseguirei só com o RG?

  47. Rodrigo Gentil

    Ótimas Dicas do Blog e fundamentais.
    Quanto as rivalidades e bairrismos inúteis, gente babaca tem aos montes no Brasil, na Argentina e em qualquer lugar do planeta, então a solicitude, simpatia e educação, são condições sine qua non para todo turista ser bem tratado aonde quer que ele esteja.As pessoas precisam entender, que se elas estão indo a um outro país para conhece-lo, não devemos ficar julgando ou comparando com outros lugares, e sim admirar, conhecer e entender a dinâmica daquela sociedade, sem preconceitos e má vontades. A Argentina e o Brasil são vizinhos e possuem muitas semelhanças, mas também muitas diferenças começando pela língua.E graças a Deus que é assim, pois que graça teria vc viajar 3 horas num avião para ver o mais do mesmo?Usem a possibilidade de viajar para absorverem conhecimentos e bagagem cultural, se enrriquecer com experiências e não desperdiçar o intercâmbio com pessoas de outros países por causa de rivalidades idiotas.

  48. Rodrigo Cesar

    Tulio, estava pretendendo ir a Buenos Aires agora em Julho/2015, mas andei pesquisando preços das coisas em Buenos Aires e parece que tudo está mais caro que no Brasil. Isso procede? Encontrei algumas lojas de couro na Rua Murillo com valores nos sites e os preços praticados estão surreais. No Brasil existem lugares bons e com preços mais em conta. O que você me sugere?

    • Túlio Bragança
      Author

      Rodrigo, infelizmente Buenos Aires já não é aquele paraíso para compras. A cidade vale muito a pena para comer bem e aproveitar seu lado turístico, para isso recomendamos muito> Agora se seu objetivo é compras, aí não vale.

  49. Daniel

    Oi Tulio, estou indo morar em Buenos Aires, gostaria de saber qual o valor dos aluguéis em media? quais documentos são necessários para alugar? Onde moram os brasileiros quando chegam na cidade e ainda nao possuem o dni?

    • Túlio Bragança
      Author

      Daniel, o melhor é vc ir na comunidade do Facebook Brasileiros em Buenos Aires. Lá [poderão te ajudar nisso.

  50. Dany Lima

    Oi Túlio, gostei muito dos seus comentários e esclarecimentos.Gostaria de saber se caso eu queira morar ai um dia o que é preciso para formalizar isso?

    • Túlio Bragança
      Author

      Dany, é bem fácil viver legalizado aqui. só é preciso fazer seu DNI, tem muitos blogs que explicam isso

  51. Olá, estou com uma viagem marcada pra BA e estou com uma dúvida, sei que não precisa de passaporte, mas que em alguns lugares você não consegue comprar sem o passaporte, é bom que eu tire ou não é bem assim?

  52. tahinaqueiroz

    Sou negra e vou com meu filho…estou bastante triste com alguns comentários que encontrei por aiii. Nao falo nada de espanhol …. Segue meu email tahinaqueiroz@outlook.com Tulio gostaria de um dia no zoo lujam e outro city tour.

    • Túlio Bragança
      Author

      Oi, Tahina. Não se preocupe porque é bem tranquilo e tratam muito bem os brasileiros. Veja o post do Zoo de Lujan para saber como ir.

  53. Pingback: Os posts mais acessados de 2015 | Aires Buenos | Turismo, guias de viagem e segredos de Buenos Aires

  54. Paulo

    Passei 15 dias em Buenos Aires e tive ambas experiências, bia e ruim no que diz respeito a tratamento. Recebi “no” curto e grosso como resposta, mas fui abordado na rua por um desconhecido qurendo oferecer ajuda… a questão é onde vc coloca seu foco.

  55. Cláudio de Santana

    Como vão…este final de ano viajei com minha família e amigos para Foz do Iguaçu. Não fosse pelas belezas naturais, lugares fantásticos e, principalmente, pessoas acolhedoras desta cidade, nossa viagem teria sido prejudicada pelo desagradável constrangimento do qual fomos vítimas quando estávamos tentando entrar na Argentina. Já estávamos praticamente em território argentino, saindo das compras que havíamos feito no Dutty Free Puerto Iguazú. Nesse dia já havíamos enfrentado um grande fila que dava acesso à aduana argentina, mas preferimos visitar o Dutty Free antes. Estávamos em três veículos, e prosseguiríamos viagem à partir daquele ponto (Dutty Free), como estava sendo feito pelos veículos a nossa frente, quando fomos impedidos de forma abrupta, grosseira, intempestiva, descortez e mal educada por policiais argentinos que nos orientaram a voltar para o final da fila (que aquela altura já havia triplicado), sem nenhuma explicação ou motivação plausíveis! Foi um choque…meu amigo teve uma breve e única oportunidade de mencionar que queríamos ir para Argentina, mas foi interrompido incisiva e grosseiramente pelo policial que insistia: “PRO FINAL DA FILA, VOCÊ NÃO TÁ ENTENDENDO, EU TÔ MANDANDO VOCÊ IR PARA O FINAL DA FILA”. Ficamos sem ação diante daquele escárnio, algo desmedido e sem propósito. Não havia explicação para aquela atitude. Indignados e revoltados nos dirigimos para o acostamento do lado contrário para decidirmos o que faríamos, e foi unânime: decidimos não mais prosseguir viagem à Argentina naquele momento. Não só pela extensão da fila, mas, principalmente pela atitude de autoridades de um país vizinho, que ao invés de adotar uma postura adequada e equilibrada diante da entrada de turistas no seu país, agem da pior forma possível, fazendo com que boatos e comentários ouvidos e lidos a respeito do tratamento do argentino ao brasileiros sejam vivenciados e comprovados na pele, como foi por nós. Estou relatando esse fato para saber que postura devo adotar, que procedimento devo seguir, quais autoridades procurar. E, em segundo plano, tentar encontrar um saída para estas situações, que creio serem pontuais, de argentinos contra brasileiros, mas que maculam a impressão sobre a Argentina, prejudicando as relações de turismo entre os países. Atenciosamente…

  56. Anny

    eu sou brasileira e estou pretendendo ir para buenos aires em março tentar fazer um curso gratuito ou de baixo custo de espanhol e conciliar um trabalho temporario sera que arranjo??

  57. Karol

    Eu já fui, e sai de lá querendo voltar, graças a simpatia e boa vontade de TODOS comigo, óbvio que fiquei atenta aos meus pertences, sou de sp e isso é um hábito para mim.
    Eu andava em todos os lugares sozinha durante o dia e amei tudo e todos.
    Volto em agosto pra Buenos Aires e sei que não vou me decepcionar , pq o povo argentino é mto receptivo e agradável ( nada a reclamar de nada nem de ninguém, pelo contrario!)
    Educação e gentileza gera reciprocidade, esse é meu lema

  58. gideon

    gostei das dicas por favor pretendo fazer uma viajem a passeio em buenos aires com minha esposa comemorar 10 anos de casamento entao alguem com agentileza de me orintar sou marinheiro de primeira viajem obg me procurem no face (gideon cardoso)no aguardo
    ..

  59. MARCELO SILVA

    Acabei de fazer o que vc pretende, comemorei 10 anos lá… fiz tudo que podia fazer em 8 dias..talvez mais um pouco…. o único problema foi a minha saída do hotel para o aeroporto, cai na besteira de fechar a conta na hora da saída… 4 ou 5 caras ficam te filmando … olhando e ouvindo a conversa… no meu caso um coroa bem tipico ficou passando a fita paras os capangas.Eles percebeu que paguei em dólar e recebi o troco na mesma moeda, um abriu a porta para minha esposa e eu logo em seguida… me sujaram com CATCHUP… e um se aproximou me alertando, 3 vieram ao meu encontro… quando percebi a ação logo… me esquivei a comecei a chamar de HIJOS DE PUTA…alto.. se assuntaram e saíram…mas a frente um pedia informação a minha mulher.. .. ela não percebeu e só se ligou quando eu falei alto…. fora isso tudo muito bom…
    Troquei real a 4,2 e dólar 15…. no centro na rua lavalle… uma galeria depois da cafeteria VALERIO…

  60. kate rosa

    Estou pretendo ir a BA com meu marido, filha adolescente e meu guri de 4 anos. Temo por não agradar as crianças. terá passeios agradaveis á eles tb? Alguem que conhece me ajude a entender.

  61. Sabrina

    Oii Túlio, vou em novembro para Buenos… Estou querendo trocar o real pelo peso aqui no Brasil e leva-los… Você acha seguro?

  62. Cris Teixeira

    Boa noite!
    Túlio estou querendo ir em Julho do ano que vem. Vc achar muito difícil quando só se fala Português?
    E onde e como trocar dinheiro?
    Hotel ou albergue? Pode indicar? Obrigada!

    • Túlio Bragança
      Author

      Cris, a maioria das pessoas que vem não fala muito espanhol não. Mas todo mundo se entende. Aqui no blog temos dicas de hospedagem e onde trocar dinheiro, só dar uma procurada aqui!

  63. Eu fui a Buenos Aires, ha exatamente 1 ano atras no verão quente de lá rs. Eu amei a cidade em si, a Calle Florida é bem legal para fazer comprar, os preços são um pouco salgados. Os alfajor da Havanna, achei um preço acessível e são deliciosos, otima opção para presentear! Eu fiquei apaixonada por Puerto Madeiro, lugar lindo, agradável para um passeio final de tarde! Os Porteños foram super educados comigo e receptivos, O ponto negativo que achei, foi no centro da cidade, muito lixo do comercio a noite, e durante o dia é muito cheio, tem vários peruanos, chilenos, e paraguaios.. É um lugar de compras, e com preços bem agradáveis, só é muito lotado de gente, e desorganizado, com muito barulho, e você encontra pessoas de todos os tipos.. Não recomendo para pessoa que assim como eu, evita lugares cheios e bagunçados. Fora a isto, fiquei apaixonada por Buenos Aires, voltarei mais vezes!

  64. Marcia

    Não sei se voltaria à Argentina. Achei o atendimento muito frio e as vezes grosseiro. Em Porto Madeiro, fui comer no restaurante Siga la Vaca e depois que me serviram a sobremesa eles correram pra me dar a conta, sendo que eu tava desfrutando do momento, saboreando o vinho, ou seja, pretendia ficar ali conversando. Fiquei com a maior cara de taxo na hora…perplexa. Me senti sendo expulsa dali. Perguntei se era pra pagar naquele momento e se era pra irmos embora e me responderam que era pra pagar naquela hora e que eu não precisaria ir, mas me parecia que eles queriam que fossemos embora. Paguei e saí…o lugar era enorme e estava vazio.

    No Café Tortoni também achei o atendimento muito ruim…enfim, no geral eles não atendem bem, mas o lugar é muito bonito. Mas, talvez eu volte pra tentar tirar essa impressão ruim. Teve um momento que o taxista rejeitou a corrida quando disse onde queria ir. Dois, na verdade. E essa história de que temos que nos esforçar pra falar espanhol, eu acho que é de bom tom, é bacana vc se esforçar pra falar a língua do país, mas isso definitivamente não é impedimento para não ser bem tratado.

    • Túlio Bragança
      Author

      Ari, nos nossos passeios recebemos muitos brasileiros de todas as cores. Ninguém nunca relatou nenhum caso de racismo, muito pelo contrário.

  65. Deborah

    Bom dia. Gostaria de saber em relação aos passeios ? onde compensa eu comprar os ingressos? estou vendo com uma agência, compensa? e em relação a casa de Tango, qual vc indica, que tenha um nível artístico envolvido e uma comida boa.
    Obrigada

  66. lima

    Tulio, estou indo pela primeira vez, você poderia nos dar uma direção, de quais são os primeiros passos ao chegar la. Muito obrigado.

  67. Saulo

    Boas dicas a cidade é a queridinha da América Latina mas… cuidado brasileiros em geral los Hermanos adoram nos dar rasteiras… fui roubado no hotel Principado Downton nenhuma indenização por danos materiais e ou morais… booking têm que tomar cuidado com os hotéis que indicam…

  68. Gabriel correa diniz

    Olá Tulio ,estou indo agora em julho pra Buenos Aires poderia me dar dicas da cidade por e-mail.

    Agradeço a sua futura resposta

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *