Le Blé

Precisamos falar sobre as tostadas belgas do Le Blé

Ninguém seria louco de discordar que em Buenos Aires você precisa comer medialunas (aliás, preparamos um post com tudinho sobre elas). Porém/não obstante/todavia/sem embargo, depois que provei as sensacionais tostadas belgas do Le Blé, minha vida nunca mais será a mesma. Acredite: sinos angelicais soarão aos seus ouvidos ao morder a casquinha doce desta delicada iguaria.

Precisamos falar sobre as tostadas belgas do Le Blé

Le Blé

(Foto: Facebook Le Blé)

Ao contrário dos Starbucks, da rede belga Le Pain Quotidien e de tantas outras franquias operando em Buenos Aires, a Le Blé é nascida e criada na Argentina – apesar do nome, que significa “trigo” em francês. A primeira loja surgiu em 2008 em Colegiales e hoje já são cerca de 15 unidades espalhadas pelos melhores bairros de Buenos Aires. Seu sócio fundador, Paul Petrelli, foi um alto executivo da Lan e Aerolíneas Argentinas, e junto com sua esposa e chef Denise Querol abriu essa “boulangerie e pâtisserie boutique” que faz o maior sucesso entre os portenhos.

Não costumo frequentar grandes redes de alimentação. Acho que as melhores comidas são feitas artesanalmente, com ingredientes frescos e aquele cuidado que é impossível manter num esquema industrial. Por isso me surpreendi com o Le Blé, que oferece tudo isso com a vantagem de ter várias lojas pela cidade. Vou sempre na de Almagro, na esquina da Mario Bravo com a Tucumán, mas já estive em outras e a qualidade é sempre igual.

Le Blé

Um espresso e um cortado.

Seja no café da manhã, almoço, brunch ou lanche da tarde, aqui você sempre vai encontrar comidas deliciosas. O Desayuno Le Blé sai por $194 pesos (preços de fevereiro de 2017) e vem com croissant, pão de chocolate e muffin (de banana ou chocolate), mais duas fatias de pão branco ou preto, queijo branco e marmelada. Já o Desayuno de Viaje ($204) vem com ovos mexidos, salsicha, bacon crocante e pão torrado com manteiga. Todas as opções incluem café ou chá à sua escolha.

Le Blé

Pão de campo (Foto: Facebook Le Blé)

Também há várias opções de saladas, quiches, sanduíches e pratos mais elaborados. No almoço, o menu custa $165 por pessoa e inclui o prato principal, bebida (a limonada é ótima) e café. Vale muito a pena, considerando que só um suco de laranja atualmente está custando cerca de 60 pesos em qualquer restaurantezinho de Buenos Aires.

Le Blé

Salada com frango crocante. (Foto: Mariana Sanchez)

Le Blé

Um dos muitos sandubas do menu. (Foto: Mariana Sanchez)

De todas as delícias do cardápio Le Blé, minhas preferidas são as tostadas belgas. São duas fatias bem generosas de pão caseiro embebido em leite com açúcar e mel, selado na frigideira até fazer aquela crosta fininha e maravilhosa – tipo as rabanadas portuguesas que comemos no Brasil, só que mais macias e delicadas. A porção sai por $110 e inclui uma xícara tão grande de café que mais parece um balde.

Le Blé

As gloriosas tostadas belgas! (Foto: Mariana Sanchez)

Le BléAlém do menu, o ambiente do Le Blé é bem simpático e aconchegante, com música agradável e lindos arranjos de flores naturais. Tudo parece confirmar o lema da casa, “Pasión por lo que hacemos”, que também é a senha do wifi 🙂 Sempre há gente lendo, estudando e fazendo reuniões nas enormes mesas comunitárias de madeira. Dá pra passar o dia todo ali, em frente a uma xícara fumegante.

Le Blé

(Foto: Mariana Sanchez)

Você também pode passar só pra levar um pão pra casa ou pro hotel. Há uma grande variedade de bagels, baguetes, pães de campo, croissants (com ou sem recheio de doce de leite), rolls de canela ou frutas vermelhas, etc., tudo fresquinho, preparado todos os dias.

Le Blé
Abre diariamente das 8h às 20h.
Procure aqui a unidade mais próxima.
Vou sempre na filial da Mário Bravo 908, bairro Almagro.
Já o Túlio sempre vai na da Av. Dorrego 999, bairro Chacarita.

Veja mais posts sobre Comida no nosso blog

Conheça Buenos Aires com os passeios do Aires Buenos Tour

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

1 comentário

Curtiu? Comente aí!