Tranquilidade em Buenos Aires – Dica do leitor

O Hugo foi para a capital portenha no final de outubro e hoje vai contar para nós um pouco da sua aventura. Ele optou por ter bastante tranquilidade em Buenos Aires, se permitindo se perder pela cidade, conhecer restaurantes locais e o interior dos bairros, e ele não se arrependeu!

Para quem está com viagem marcada para a terra dos portenhos, vale a pena conhecer o nosso Guia Básico: 4 dias em Buenos Aires. Ele é um guia fechado com roteiro para quatro dias de viagem, cheio de passeios legais e que não podem faltar para quem quer ter uma experiência completa na cidade. Mas se você quer conhecer uma Buenos Aires fora do comum, o Guia Lado B dos pontos turísticos de Buenos Aires é o ideal para o seu caso!

Tranquilidade em Buenos Aires – Dica do leitor

dica_do_leitor_5

Olá, pessoal, me chamo Hugo! Se você está lendo meu relato agora, é provável que você esteja em uma dessas duas situações: está sonhando com sua viagem a Buenos Aires, fazendo planos e se programando, ou foi à capital de nuestros hermanos e está morrendo de saudades (time para o qual entrei há pouco tempo). Fui sozinho, mas no hostel que fiquei hospedado, conheci duas brasileiras e um argentino. Saímos juntos para passear na maioria dos lugares. Quero contribuir um pouco com o blog que me auxiliou tanto em minha viagem. Quero indicar também o canal De passeio por. Eles já fizeram o Tour Lado B de Buenos Aires (confere lá no youtube). Espero que ajude. Sem mais, vou contar pra vocês como foi minha primeira viagem internacional. Bora lá:

1º dia
Cheguei à tarde pelo Aeroparque. Troquei dinheiro no Banco de La Nación, no aeroporto mesmo, para algumas despesas iniciais. De lá parti para o Centro, onde fiquei hospedado. Tenho que confessar que não me arrependi. O bairro é interessante para quem vai pela primeira vez à cidade e não quer sair muito à noite. Fiz câmbio, passeei um pouco pelo Centro e voltei para o hostel.

2º dia
Caminhei pelo centro da cidade e conheci as construções e pontos mais importantes. Praça de Maio (foi quando a ficha caiu, avisando que eu realmente estava em B.A), Obelisco, Teatro Colón, Galerias Pacífico, Avenida de Maio e Congresso. Para comer, tinha um propósito: entrar em restaurantes ao acaso. Não queria me prender nesse ou naquele lugar. Realmente não me arrependi. Percebi que a cidade tem ótimos restaurantes, não necessariamente famosos entre os turistas, mas muito bons. Depois de estar devidamente alimentado, foi a vez de conhecer Puerto Madero. Que lugar espetacular! Lindo, seguro e com um ar mais sofisticado. É interessante fazer esse contraponto: O Centro mais antigo e Puerto Madero mais moderno. Essa experiência, por si só, já mostra a diversidade da cidade.

3º dia
Foi o dia da Recoleta. Fiz meu cartão SUBE e fui à luta. Pegamos um ônibus no Obelisco e fomos até o bairro que realmente é muito charmoso. Procuramos nos perder pelas ruas desse lugar muito especial. Depois fomos até o Cemitério da Recoleta, que é lindo, mas estranho ao mesmo tempo. Na hora do almoço, não resisti, fui ao Hard Rock Café e não me arrependi: valeu cada centavo. Comida e atendimento espetaculares! Depois fomos ao Museu Nacional de Belas Artes, que é muito interessante, e Floralis Genérica, um dos momentos mais esperados da viagem. Seguimos caminhando até o MALBA, por dois motivos: 1- Eu precisava ver e tirar foto com o quadro mais pintado por mim durante a época do colégio, o Abaporu e 2- Eu tinha que ter uma noção de como é vista lá em cima do Obelisco, escultura em frente ao MALBA. Compramos macarrão para nossa janta. Depois disso, fomos para o hostel de ônibus.

dica_do_leitor_2

4º dia
Acordamos cedo e fomos a Palermo. Adotamos a mesma estratégia do dia anterior: se perder pelas ruas do bairro. Conhecemos a região da Praça Armenia e acabamos almoçando por lá mesmo. A gastronomia portenha é mui rica. Quando for, delicie-se. Fomos então ao Jardim Botânico, que é muito bonito, e depois ao mais esperado do dia: Jardim Japonês. Esse foi o lugar em que mais ficamos. Gastamos quase toda a bateria da câmera tirando fotos de lá. Então decidimos ir até o Planetário para tirar algumas fotos. Descansamos um pouco e aproveitamos os bosques e o Rosedal. As meninas adoraram o passeio nesse parque. Super recomendado para quem gosta ou não de flores. É um lugar muito gostoso para aproveitar a tarde. De lá pegamos um táxi, pois gastamos muita sola de sapato. Nossos pés não aguentavam mais andar. Seguimos para o hostel para descansar.

dica_do_leitor_6

5º dia
Foi o dia de fazer fotos pelo Centro mesmo e ir até o Abasto, para a tão sonhada foto com o Gardel! Nesse dia, meus amigos foram até Tigre para fazer o passeio pelo rio, porém meu intuito era aproveitar cada vez mais a cidade. Fiz a visita guiada pela Casa Rosada. Conheci o famoso Shopping Abasto e aproveitei para almoçar por lá mesmo. O lugar é lindo e impressiona pela grandiosidade e arquitetura notáveis. Voltei para o hostel, pois tive uma indisposição. Descansei um pouco e de noite fui a uma reunião da Igreja. Entrei em contato com os irmãos da Igreja lá em Buenos Aires, então eles vieram me buscar para a reunião, que aconteceu em Villa Luro. Aproveitamos muito, pois comemos juntos e nos divertimos bastante. Depois disso, voltei ao hostel para dormir e ter fôlego para o dia seguinte.

dica_do_leitor_7

6º dia
Eleições na Argentina. Mas isso não foi empecilho: a feirinha de San Telmo aconteceu do mesmo jeito. Foi o dia de conhecer a feirinha e comprar lembrancinhas para os parentes e amigos. Almocei as tão famosas empanadas e me apaixonei por elas. São realmente muito boas. Ganhei de presente um show de tango no meio da feira. A dica é: não compre na primeira barraquinha que encontrar. Percorra toda a feira e faça como um bom brasileiro: pechinche! Os melhores preços podem estar bem no início, mas outras ofertas imperdíveis podem ser encontradas do meio para o final da feira. Depois de andar várias vezes por ela e comprar várias coisas, eu já não aguentava mais! Voltei para o hostel e dormi até mais à noite. Com a galera reunida novamente, saímos para conhecer Puerto Madero de noite e foi uma experiência muito boa. Jantamos por lá mesmo. Excelente!

dica_do_leitor_3

7º dia
Último dia inteiro na cidade. Foi o dia de comprar o resto dos presentes, que não foram encontrados na feirinha. Andei por quase toda Calle Florida e encontrei algumas coisas. Depois fui conhecer a Livraria El Ateneo (vale muito a pena) e a galeria Bond Street. Saindo de lá, peguei o metrô até a catedral e andei até San Telmo para conhecer a Mafalda, longe do tumulto da feirinha, e os personagens que estão próximos à ela. Voltei à praça de Maio para fazer mais fotos. Toda vez que passava perto dali, não dava outra: sempre tirava mais e mais fotos. Depois voltei ao hostel para descansar e arrumar as malas para o dia seguinte.

dica_do_leitor_4

8º dia
Dia de ir embora. Acordei, me despedi dos meus amigos feitos na viagem e fui até o Aeroparque para voltar ao Brasil e matar a saudade do bom e velho feijão! Kkkk

dica_do_leitor_9

Dicas importantes:

  1. Os blogs de viagem já cansaram de falar, mas vou repetir: NUNCA pegue os táxis que ficam parados em frente ao aeroporto. Lá no Aeroparque eles ficam bem na saída. Por mais que você se sinta inseguro, queira chegar logo em seu hotel, nunca faça isso. Pegue um táxi na rua (o que tenha alguma plaquinha em cima), pois a chance de ser enganado é bem menor. Digo isso porque, quando cheguei, fiz a besteira de pegar o táxi na frente do aeroporto e paguei 200 pesos até o Centro e o taxista passou por um lugar onde não havia pedágio. Na volta, peguei um que tinha a placa em cima, e ele passou por uma estrada que tinha pedágio. Do Centro até o Aeroparque + pedágio, deu 110 pesos. Ou seja, perdi 3 caixas de alfajor na primeira corrida em BsAs.
  2. Prove todas as delícias de Buenos Aires. Entre em sorveterias ao acaso, coma várias marcas de alfajores; delicie-se com as empanadas, bifes, massas e tudo de gastronômico que a cidade tem a oferecer!
  3. Se arrisque no metrô: apesar de não ser novinho e tão bem cuidado como o de “Essepê”, o transporte faz o mais importante: funciona! Faça seu cartão SUBE e aproveite!
  4. Seja um jurado exigente: prove o dulce de leche portenho e, quando voltar ao Brasil, prove o mineiro. Não precisa decidir logo, essa decisão não tem pressa. Prove de novo e de novo e mais uma vez: você não vai se arrepender!

Galera, espero ter ajudado. Fico aqui morrendo de saudades dessa cidade linda e torcendo para que vocês, assim como eu e muitos leitores, possam ir à tão sonhada Buenos Aires e depois  escreverem o relato aqui no blog! Té mais! 😉

dica_do_leitor_8

Que viagem boa Hugo! É muito bom sair sem saber aonde vai chegar, buscando apenas conhecer um pouco mais da vida portenha. Agora fica aquele gostinho de voltar para Buenos Aires e ter novas experiências inesquecíveis!

Se você quer mais dicas para a sua viagem, visite a categoria DICA DO LEITOR.

E para você que já visitou a cidade, não deixe de nos enviar seus comentários sobre os melhores passeios! É só escrever para airesbuenosblog@gmail.com junto com algumas fotos.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

2 comentários

  1. Tatiane Moraes

    Adorei o relato e para a minha tristeza eu esqueci de fazer self com a Mafalda, vou ter que voltar!! 🙂

Curtiu? Comente aí!