Um passeio pelo primeiro metrô da América Latina

Ainda me lembro da primeira vez que vim a Buenos Aires, em 2005. Fiquei hospedada na casa do tio de um amigo, no bairro de Caballito (¡saludos, tío Luis!), a poucas quadras da estação Primera Junta, na época a última da linha A. De lá para cá, foram construídas quatro estações novas, mas em 2005 aquela ainda era a última.

A última, da primeira linha de metrô de Buenos Aires. Aliás: de todo o hemisfério sul.

Em 2005 os vagões de metrô da linha A ainda eram os originais de madeira, de produção belga, com seu cheiro e chacoalhar característicos e aquele irresistível ar vintage-charmosinho-decadente. Lembro de viajar muito neles da Praça de Mayo à Primera Junta e vice-versa, quando a passagem custava cerca de 3 pesos e ainda dava para pagar em dinheiro, na era pré-tarjeta SUBE.

Em janeiro de 2013 estes míticos vagões saíram de cena, depois de circular por 100 longos anos. A boa notícia é que alguns deles foram restaurados e voltarão à ativa neste sábado, 02 de setembro de 2017, em uma ação histórica e cultural promovida pelo governo da cidade.

“Mind the gap” e seja bienvenido ao subte porteño.

Um passeio pelo primeiro metrô da América Latina

Subte

As saudosas “brujas” da linha A. Imagem: Luis Argerich

O “subte”, como os portenhos chamam seu sistema de metrô, foi inaugurado em dezembro de 1913, nove anos depois do metrô nova-iorquino. A linha inaugural, identificada pela mesma cor azul celeste da bandeira argentina, começava na Praça de Mayo e terminava na Plaza Miserere, com apenas 8 estações. Hoje, chega até San Pedrito, no bairro de Flores, totalizando 17 paradas. Em 1930, foi inaugurada a segunda linha (B), de cor vermelha. Atualmente, o traçado do metrô de Buenos Aires conta com 5 linhas, sendo a mais nova a H (amarela), que alimenta o bairro da Recoleta.

Subte

Os vagões de madeira (de Ipê) da antiga linha A foram produzidos entre 1911 e 1919 pela empresa La Brugeoise, Nicaise et Delcuve na cidade belga de Bruges (em espanhol, Brujas, que também significa “bruxas”). Daí serem conhecidos pelos portenhos como “los belgas”, “la Brugeoise” ou simplesmente “las brujas”. Até ser retirada de circulação, há quatro anos, a frota da linha A era a mais antiga formação subterrânea do mundo em serviço comercial. Não à toa os trens são protegidos por lei e declarados Patrimônio Cultural da cidade pela Legislatura portenha – algumas unidades mais avariadas, no entanto, foram vendidas a preço de banana em um leilão online no começo do ano, deixando os argentinos injuriados.

Subte

Papa Francisco na linha A: dos tempos em que ainda era Bergoglio.

A sorte é que quatro vagões foram completamente recuperados por um time de especialistas (incluindo os simpáticos senhorezinhos da Associación Amigos del Tranvía, sobre quem já escrevi aqui), e quem não teve a chance de viajar nos trens naquela época pode sentir esse gostinho neste sábado, 2 de setembro. A partir das 23h30, quando o metrô já encerrou oficialmente as atividades do dia, os antigos vagões voltam a vagar como fantasmas do passado, partindo da plataforma da estação Perú sentido San Pedrito. Serão três viagens de ida e volta até a estação Acoyte.

Para participar é preciso se inscrever neste site, preencher o formulário e torcer para ser um dos sorteados. Outros três passeios estão previstos até o fim deste ano.

Mesmo se você não conseguir viajar neles, vale visitar a estação Peru, a mais antiga de Buenos Aires e de toda a América Latina, declarada Monumento Histórico Nacional. Só descer ali, onde começa a avenida de Mayo, já é uma viagem a outro tempo: a estação conserva sua bilheteria e azulejos originais, além de expor cerca de 40 cartazes publicitários pitorescos do início do século 20 anunciando desde purgante Ricinol até galletitas Bu-Bu.

SubteEntão, passe logo o seu cartão SUBE e percorra de cabo a rabo a primeira linha de metrô latino-americana. De preferência, leve para ler no trajeto o livro Orientação dos Gatos, do argentino Julio Cortázar: o conto “Texto em uma caderneta” narra um episódio insólito ambientado ali mesmo.

Saiba mais sobre o subte de Buenos Aires e conheça também as 5 estações mais bonitas da capital portenha.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

2 comentários

  1. Que delícia!!
    Acabei de voltar de Buenos Aires e já estou com saudades.
    Eu amo aquele metrô!!
    A estação mais linda é exatamente a Perú, tão conservada e requintada… :o)
    Não cheguei a ir até o final de nenhuma linha, mas usei to-das nos 10 dias que permaneci por lá.
    É fantástico! Para todo lugar que quis me deslocar consegui fazer um roteiro usando uma, duas ou três linhas do metrô. Usei uber apenas duas noites quando já não havia mais metrô e ônibus também duas vezes, apenas para “me sentir parte do povo”…kkkk
    Mas não existem mais os vagões originais da linha A, :o(
    Seja como for, vá a Buenos Aires e use e abuse do metrô!

    • Alexandre

      bom dia Giovana. Td bem?
      Estou indo para Buenos mês que vem, de 10/10 a 19/10. Poderia me dar algumas dicas? Ja esta quase tudo prontinho (roteiros, essas coisas), seria mais pra enriquecer a viagem.
      email: ajbsaldanha@gmail.com

Curtiu? Comente aí!