Viagem com o pai para Buenos Aires – Dica do leitor

O roteiro de hoje é bem agitado! A viagem da Regina para Buenos Aires com o pai foi em novembro e eles aproveitaram bastante todos os cinco dias de viagem, mesmo com a chuva tentando atrapalhar.

Se você quer dar uma olhada em outros lugares interessantes de Buenos Aires, dê uma olhada no nosso Guia Básico – O que fazer em Buenos Aires (4 dias). Mas se você, assim como o pai da Regina, já veio para cá, mas quer outros lugares não tão conhecidos para visitar, vale ler o nosso Guia Lado B dos pontos turísticos de Buenos Aires.

Roteiro de 5 dias em Buenos Aires – Dica do leitor

Voltei ontem (26/11/2014) da viagem para Buenos Aires com meu pai. Ele já tinha ido antes, mas eu fui pela primeira vez e ficamos por cinco dias.

Cheguei em Buenos Aires no sábado à tarde pelo Aeroparque e já havia contratado o transfer para o hotel do Brasil mesmo. Contratei o Alejandro, um taxista argentino que comanda uma equipe de taxistas.

A parte ruim da viagem aconteceu quando chegamos ao hotel e percebemos que todos os cadeados da mala do meu pai tinham sido roubados. A mala foi revirada no aeroporto, mas como só encontraram roupas, não levaram nada, graças a Deus! Chegamos à conclusão que a mala foi estourada no Brasil (Guarulhos), onde ficou por mais tempo, mas é impossível saber com exatidão, portanto todo cuidado é pouco.

dica_do_leitor_1

À noite nos preparamos para o show de tango que eu também já havia reservado com o mesmo motorista de taxi, o Alejandro. Compramos a entrada para o Tango Porteño e pagamos R$ 230,00 cada um, com direito a vinho, refrigerante e água à vontade, além do jantar (entrada, prato principal e sobremesa), do show de tango e do transfer de ida. O transfer de volta também já está incluído, porém ele é feito pelo próprio Tango Porteño. Opinião sobre o show: achei o show incrível, não entendo da cultura e história do tango, mas tive a impressão que dançaram diversos tipos: bailado, lento, sedutor, mais regional. Enfim, as danças dividiam espaço com uma orquestra e algumas encenações mais modernas, um teatro dançado… Eu achei interessante, mas meu pai não curtiu tanto, ele prefere o tango típico, então para esses casos é melhor se informar e procurar um show que combine mais com o seu estilo.

No dia seguinte, domingo, caminhamos até a feira de San Telmo. O que vimos por lá? Antiguidades, artigos em couro e lembrancinhas. Como moro em São Paulo posso dizer que não vi nada de tão diferente que não tenha aqui, exceto pela estátua da pequena Mafalda, que fiz questão de tirar uma foto com ela. As ruas da feira são um pouco difíceis de caminhar, porque elas são de paralelepípedo que estão precisando urgente de uma melhoria. Enfim, vale para conhecer , mas se você for pensando que vai encontrar algo inusitado em um lugar incrível, você pode ficar um pouco frustrado, então encare e vá com o coração aberto, divirta-se. Como estávamos caminhando sentindo Plaza de Mayo, terminamos de passear pela feira e demos de cara com a Casa Rosada e entramos no pátio, onde tem uma linda fonte e bustos de personalidades da America Latina, inclusive do Brasil. Aos finais de semana é possível fazer uma visita guiada, mas não fomos, a fila estava imensa. Pegamos um táxi e fomos até e feira de Mataderos, é uma feira típica gaúcha.

O bairro Mataderos é bem afastado do centro, uns 40 minutos. O taxista disse para não andarmos a pé quando saíssemos da feira porque seria bem perigoso. A feira tem artigos de couro, queijos, doces de leite, temperos, vinhos, e logo na entrada tem um casal vestido de gaúcho que dança e socializa com quem chega, além de tirar foto. A feira de Mataderos é bem rústica e não muito conhecida pelos turistas, confesso que não iria de novo. Trocaria fácil para fazer um passeio no rio Tigre, mas enfim, mais um lugar que conheci. De lá saímos para Palermo Soho, onde comemos um milanesa com papas fritas (aprendi aqui no blog que é uma comida típica) e também uma ensalada completa. Um delicioso almoço em um delicioso lugar, isso porque depois caminhamos um pouco pelo bairro. De lá partimos para os parques de Palermo, a praia dos portenhos. O parque estava bem cheio, as pessoas brincam, namoram, dormem sobre a grama, fazem piquenique e andam de bicicleta, muito legal! Minha ideia depois era ir ao Rosedal, mas me informaram que estava fechado, portanto não conheci. No mesmo dia pegamos outro táxi e fomos ao Caminito. Isso mesmo, conheci quase a cidade toda em um único dia. Rsrsrs! Ao contrário do que eu pensava, o Caminito tem um charme próprio, os argentinos valorizam tanto sua cultura que transformam um simples lugar no chamariz dos turistas. Para ir embora meu pai queria ir de ônibus, só que não deu muito certo. Para andar de ônibus em Buenos Aires é necessário ter moedas ou o cartão Sube, como não tinhamos nenhum, partirmos de táxi mais uma vez para retornar ao hotel. À noite ainda saímos para jantar e encontramos bem perto do hotel o Azteca Pizza e Café.

Na segunda-feira era feriado por lá, mas ainda assim fomos às lojas da Calle Florida e da Galeria Pacifico. Gostei muito, principalmente da Galeria Pacífico, mas confesso que em questão de valores não foi nada atraente. De lá encontramos o ônibus de turismo da cidade que faz um tour pelos principais pontos turísticos. Como estava chovendo, foi uma excelente opção para conhecer o que ainda não havíamos visto. Com esse ônibus você pode descer nos pontos principais e pegá-lo novamente porque a passagem dá direito a 24 ou 48 horas de uso. Descemos na parada de Puerto Madero para almoçar e depois finalizamos o trajeto do ônibus. Quando finalizamos pegamos o metrô até o hotel e o trajeto foi bem rápido, mas o metrô (conhecido como Subte) é o espelho da atual situação em que vive a Argentina. Ele cheira à crise e chega a ser triste, mas ainda assim recomendo, é uma experiência única! 😉

O melhor ficou reservado para terça-feira. Pelo menos para mim, foi o que valeu mais a pena. Fui ao Zoo de Luján! O Zoo de Luján é uma fazenda, um lugar rústico, portanto os amantes de asfalto devem deixar as manias dos grandes centros em casa e aproveitar.

dica_do_leitor_2

Você pode comprar saquinho de milho e ração e alimentar os animais que ficam soltos, como lhamas, patos, gansos. E crie coragem para entrar nas jaulas dos animais exóticos, estou encantada até agora. Entrar na jaula de leões é algo indescritível. Os animais não parecem dopados e ao contrário, quando chegamos, logo depois que o zoo abriu, alguns estavam bem animadinhos, andando nas jaulas e se acalmando com o carinho dos humanos. Saímos de lá e fomos para uma visita guiada ao Teatro Cólon. Nobreza é pouco para definir aquele lugar rico em história e recheado de glamour. As visitas são feitas com um guia em inglês ou espanhol e vale cada minuto. Quando saímos resolvemos fechar a programação com chave de ouro e fomos ao famoso Café Tortoni. Outro lugar que transborda história, que está em cada quadro, no piso, nas paredes e cadeiras. Mas confesso que fiquei desapontada com o cardápio. Um lugar tão importante, não serve ao menos empanadas? Esperava muito mais!

No dia seguinte apenas descansamos para ir embora, finalmente meu roteiro chegou ao fim. Hasta la vista Argentina…

Muito útil o seu relato Regina, todos agradece!. Pelo visto, valeu a pena andar mais de táxi e conhecer muitos pontos turísticos em tão pouco tempo.

Se você gostou dessas dicas, mas ficou querendo mais, visite a categoria DICA DO LEITOR.

Mas se a cidade dos portenhos é sua recente conhecida, que tal nos contar como foi a sua aventura? Envie um e-mail com algumas fotos para airesbuenosblog@gmail.com para publicarmos seu relato aqui no blog!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

1 comentário

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *