Viagem de 5 dias em Buenos Aires – Dica do leitor

Hoje é a vez da Gabriela contar sobre a sua viagem de cinco dias em Buenos Aires. Ela andou bastante pela cidade, usando sempre um mapa, e dá várias dicas de passeios legais que você pode incluir no seu roteiro. Ela pegou várias indicações aqui do blog e hoje é a vez dela te ajudar a escolher os lugares para visitar.

Se você precisar de uma ajudinha extra para saber o que fazer na sua viagem, recomendamos o nosso Guia Básico de Buenos Aires – O que fazer em 4 dias e o Guia Lado B dos pontos turísticos em Buenos Aires, ambos têm roteiros fechados para quatro dias de viagem, com sugestões de passeios, restaurantes, além de terem também mapas interativos.

Viagem de 5 dias em Buenos Aires – Dica do leitor

dica_do_leitor_1

Olá pessoal, boa tarde. Estou escrevendo um relato de nossa visita à linda Buenos Aires, de 10 a 14 de junho de 2015, pois somente fizemos esta viagem ser maravilhosa graças aos comentários e indicações de leitores do blog, assim espero ajudar quem for viajar para lá.

dica_do_leitor_5

Pegamos um voo de Florianópolis direto para o aeroporto de Ezeiza. Bom, nos estabelecemos no Hotel, o Rochester Concept, bem no Microcentro e a uma quadra do shopping Galerias Pacífico. Para nós a localização foi excelente, pois nas vezes que estávamos cansados demais, íamos ao Galerias comer alguma coisa. O hotel tem um café da manhã ótimo, o quarto e o banheiro são um pouco pequenos mas íamos só para dormir mesmo, então sem problemas. Contratamos pela Decolar, não me lembro exatamente o preço mas acho que uns R$ 140,00 o dia.

Enfim, logo que chegamos, fomos direto à Calle Florida conhecer a Galerias Pacífico. O Shopping é lindo, mas claro que tem preços bem salgados. Jantamos em um restaurante de carnes, e pagamos em média R$ 100,00 por um parilla com macarrão. Estava boa. Depois, pegamos um táxi e fomos para um dos pontos mais esperados e recomendados da viagem: o Bar Sur, em São Telmo. Chegamos na porta em torno de 21 horas, por fora ele já tem cara de ser algo mais antiquado, justo o que procurávamos. A entrada era de 600 pesos por pessoa, imediatamente um garçom que devia ter uns 80 anos abre a porta e nos convida a entrar. Começamos a reclamar que estava muito caro, e por fim pagamos 300 pesos cada (eu e meu marido) com uma cerveja e uma taça de vinho incluídos.

dica_do_leitor_2

De toda a nossa viagem, foi o lugar que mais gostamos: o lugar é iluminado somente por luz de velas, parece que estamos há pelo menos uns 70 anos atrás. Estávamos somente em três casais, o local é minúsculo, acredito que deve haver umas dez mesas somente. Quando de repente a banda começa a tocar: o mais novo dos músicos deve ter uns 70 anos, mas é uma paixão e uma emoção indescritível. E quando o casal de dançarinos entra no palco, com uma sensualidade e uma entrega impossível de sentir em qualquer outro lugar. Além disso, nos ensinaram passos de tango, tiraram fotos, tanto os dançarinos quanto os músicos, enfim… Fomos embora quase 2h da manhã, profundamente emocionados e com a certeza de termos visto algo especial. Se você quiser ver e viver o tango de verdade, vá ao Bar Sur.

dica_do_leitor_3

No dia seguinte acordamos cedo e fomos conhecer os principais pontos a pé. Fomos ao Café Tortoni, onde comemos medialunas e crepes deliciosos. Nota sobre Buenos Aires: o suco de laranja é horrível. Tomei em quatro lugares e depois desisti, muito ruim mesmo. Ou tive muito azar, hehe. Lá não foi diferente. Nosso garçom, o Pastor, no começo estava de cara muito amarrada mas depois mostrou-se superatencioso, e notei que isso é característica de alguns garçons mais velhos de lá. O lugar é realmente muito lindo e respira história, vale a pena o passeio.

dica_do_leitor_4

Depois fomos ao Obelisco e ao Teatro Cólon, porém naquele dia estavam fazendo testes de iluminação na sala principal e por isso não fizemos a visita guiada. Dali fomos a pé para a Casa Rosada e tiramos muitas fotos na Plaza de Mayo, o lugar é lindo. Também conhecemos a Catedral. Por fim, fomos a pé para Puerto Madero almoçar. Não é perto, mas pressentíamos que teríamos muitas refeições fartas então era bom exercitar, hehe.

dica_do_leitor_6

Em Puerto Madero, a beleza impressiona. Realmente parece que você está em outra cidade, e o canal é mesmo maravilhoso. Chegamos na Ponte de La Mujer, e depois de muitos clicks, sentamos no Bar Bull às margens do rio. Pedimos um vinho doce (em torno de 75 pesos) e depois almoçamos uma parilla com risoto de abóbora, uma coca e um suco de laranja. A conta total de R$ 175,00 para dois já com o vinho, pagamos em peso mas não me recordo o valor do câmbio, apenas que fizemos a conta para ver quanto daria. Estava delicioso.

dica_do_leitor_7

Pegamos um táxi e fomos para a Recoleta, a corrida deu em torno de 100 pesos. Queria conhecer a Livraria El Ateneo e é de tirar o fôlego. Enquanto o marido tomava um café na caríssima lanchonete do local, percorri todos os corredores admirando tudo. O local é magnífico e vale a visita, mesmo que seja para não comprar nada, como foi o nosso caso. Depois fomos a pé para o Cemitério da Recoleta. Ao chegarmos perto, precisávamos ir ao banheiro e perguntamos na sorveteria Freddo onde poderia encontrar um. A atendente nos indicou o Shopping Recoleta, que ficava bem ao lado. Para não perder a viagem, pedi um sorvete de Dulce de Leche (no potinho, duas bolas enormes por 56 pesos) e realmente é imbatível. Uma das coisas mais deliciosas que já comi lá.

Sobre o shopping, confesso que por fora é muito bonito, mas por dentro não achamos muita graça. Fomos aos três andares mas depois decidimos ir ao Cemitério pois teríamos o Madero Tango à noite e ainda queríamos ir para o hotel descansar.

O Cemitério é magnífico e vale a visita. Fico pensando como as pessoas gastavam quantias enormes para fazer as obras de arte que homenageiam seus entes queridos, pois é uma mais linda que a outra. Sem falar que o cemitério é enorme, acabamos não ficando muito tempo mas vale a visita.

Retornamos de táxi ao hotel e dormimos um pouco. À noite íamos no Madero Tango, o transfer já estava incluso mas ouvimos vários comentários de que costumava atrasar porque passa em vários hotéis buscando o pessoal. Como compramos o pacote VIP, tínhamos direito a uma garrafa de champagne, vinho, cerveja, água e refri à vontade, além de entrada, prato principal e sobremesa, com várias opções a escolher. A comida estava muito gostosa, meu marido comeu parilla e eu costelas de porco. Às 22h começou o show, que deve contar com uns 12 artistas, e conta a história do tango. É um espetáculo muito bonito, dançarinos muito talentosos e cantores maravilhosos, porém preferimos a intimidade do Bar Sur. Mas penso que todos que forem a Buenos Aires devem ir a pelo menos um show de tango como este, faz parte da cultura da cidade. Ao final tivemos uma mini-aula de tango e recebemos até certificados. Voltamos de transfer. Apenas uma coisa que não gostamos: não há mesas individuais (pelo menos no VIP), então há mesas bem compridas e os casais vão chegando e sentando uns ao lado dos outros, fica bem apertado. Nada que comprometa, mas é bom saber.

No dia seguinte fomos ao Zoo de Lujan, saímos às 9h. Como chegamos cedo, não havia muita fila e de cara tirei foto com o leão Alan e com os tigrinhos. A orientação é de que se faça carinho somente nas costas deles, nunca na cabeça, patas ou rabo. Meu marido não quis nem chegar perto, mas eu entrei nas jaulas e me senti segura. Não sei se eles são dopados, mas acredito que não. O único que tive dúvidas foi o leão, os demais pareciam bem normais e os cuidadores parecem ter muito carinho por eles. Muitos patos e galinhas soltas pelo caminho, compramos comidinhas para dar para eles (um saquinho com ração e restinhos de pão, 10 pesos o saquinho) e cada vez que chegávamos perto era um ataque, bem divertido. Além disso, alimentamos uma meiga elefoa que faz pose para a foto, abraçamos o pescoço do dromedário, e demos comida para os ursos e para as lhamas. Amamos o zoo, os animais parecem mais livres que em outros lugares que já visitamos, vale muito o passeio. Chegamos em Buenos Aires por volta de 15h e fomos novamente no Galerias Pacífico, onde comemos os dois no Kentucky Fried Chicken por 150 pesos. Uma delícia.

dica_do_leitor_8

Tínhamos reserva no La Cabrera a noite, e chegamos lá em torno de 20h30min. O local tem uma decoração maravilhosa e a fila para conseguir uma vaguinha era imensa. Não precisamos esperar, e de entrada já pedimos uma morcilha. Estou acostumada a comer o prato no Brasil, mas não chega nem perto do que experimentei lá. Divina, cremosa, espetacular, sonho com ela até hoje. Depois pedimos uma picanha de Kobe, que chegou com aquele monte de pequenos acompanhamentos de dar água na boca. Nem preciso falar que em termos de carne foi o melhor que comemos, e olha que comemos em muitos lugares! De sobremesa, panquecas de doce de leite. A conta, já com o vinho, foi de 900 pesos, em torno de R$ 270,00 para o casal, mas confesso que saiu quase de graça pela qualidade da comida. Bom demais! Se for, não esqueça de reservar , ou a espera será grande!

dica_do_leitor_9

No dia seguinte não tínhamos nada programado, então resolvermos ir a La Boca. Decidimos pegar o metrô, e conseguimos chegar a uma estação próxima, Constitucion. Andamos cerca de 2 km, sempre com um mapinha em mãos, e chegamos a um lindo parque, não me lembro direito como escreve, mas acredito que seja Lumazna. Curtimos um pouco, depois andamos mais umas oito quadras até chegar a La Bombonera. Fizemos a visita guiada, bastante interessante, a guia é bem divertida. Pagamos 95 pesos por pessoa e durou cerca de uma hora. Depois fomos ao Caminito. Muitos dizem que é programa para turista, que não tem nada de mais. Bom, o passeio é realmente rápido, cerca de cinco minutos e você vê tudo, além de vendedores e garçons te abordando o tempo todo. Mas há um ar diferente em La Boca, uma viagem no tempo, que nos prendeu ali. Acabamos sentando em um dos restaurantes com mesa na rua, com cantores e um casal dançando tango, e ali deixando a vida passar. A refeição foi bem carinha, como tudo em La Boca, mas por fim valeu a pena.

dica_do_leitor_10

Voltamos a pé e decidimos conhecer a pracinha Dorrego, onde nos domingos acontece a feirinha de San Telmo. Era perto e continuamos a pé. É um lugar maravilhoso para se passar o tempo conversando. No sábado à tarde estava cheio de mesinhas dos restaurantes e havia casais dançando tango, é bastante arborizada e não dá vontade de ir embora.

Exaustos, pagamos o metrô novamente e fomos para o hotel. Cometemos o erro de dormir e acordamos já as 20h, queríamos sair mas o cansaço era tanto que só fomos no Galerias Pacífico novamente e comemos no KFC.

Domingo era o dia da volta, mas como o vôo era somente as 16h fomos conhecer a Feirinha de San Telmo. Bom, quando chegamos a feirinha ainda estava sendo montada, mas é coisa linda de ser ver: em sua maioria são vendidas antiguidades, creio que devem ter umas 70 barracas. Ao ver a quantidade de coisas, eu só ficava pensando onde eles conseguiam todas essas relíquias para vender, heheh… Ao final da praça há a continuação da feira, creio que deve ter cerca de 1km de barraquinhas que vendem todo tipo de lembrancinhas que você pode imaginar, além de produtos de lã, jogos, bolsas, enfim, tem de tudo. E achei muito interessante que não há abordagem. O turista fica a vontade para ver tudo e escolher o que quer com calma, sem ter ninguém te oferecendo um monte de coisas que você não quer comprar. Difícil é escolher, heheh. Como não havíamos comprado nada para os amigos e familiares, compramos algumas coisas por ali a um preço bem legal.

Retornamos ao país. A viagem foi inesquecível, e quero deixar algo registrado: achei os argentinos muito educados, solícitos, amigáveis. Fomos muito bem tratados em todos os lugares. Não me senti insegura nas ruas, em momento algum, e olha que é uma cidade enorme. Ao contrário, me senti extremamente acolhida e não vejo a hora de voltar a este lindo país!

dica_do_leitor_11

Muito obrigado por compartilhar o seu roteiro conosco Gabriela! E no final das contas foi ótimo se hospedar perto da Galerias Pacífico, é sempre bom ter várias opções de restaurantes perto de onde você está.

Para ver outras dicas como essa, visite a categoria DICA DO LEITOR.

E faça como a Gabriela, mande para airesbuenosblog@gmail.com um texto sobre a sua viagem junto com algumas fotos! Você pode ajudar muitas pessoas que estão planejando sua viagem para Buenos Aires.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

1 comentário

  1. margareth dumelle

    Adorei as dicas Vou para la em março com um amigo meu que ja foi e estou super empolgada!Minha primeira viagem de aviao e ainda por cima internacional Obrigada

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *