Portland, dicas do que fazer e comer na cidade que inspirou Portlandia

Esse blog é sobre Buenos Aires, mas também meu espaço para postar minhas ideias. O texto a seguir de uma série de outros sobre minhas recentes férias, onde fui buscar outros aires buenos. Todos esses posts podem ser vistos aqui

keepportlandweird

Portlandia, a comédia do canal IFC, diz que é a cidade onde os jovens vão para se aposentar. Já Fugitive and Refugees, de Chuck Palahniuk, diz que todo mundo lá tem no mínimo três vidas. Tanto a série quanto esse livro foram minhas introduções culturais a Portland, maior cidade do glorioso estado do Oregon.

Recomendo muito ver a série e ler o livro para qualquer pessoa que for visitar Beervana, Bridgetown, Rip City ou qualquer outro apelido que seja pra designar Portland. Portlandia você pode achar no youtube, como no link abaixo, já Fugitive and Refugees não tem edição nacional. Comprei na Amazon e no meu primeiro dia na cidade o devorei como um animal.

Comer, comer!

Comer é uma das melhores coisas para se fazer em Portland, que está sempre na lista das melhores opções gastronômicas nos EUA e no mundo.

o que fazer em portland

Uma ótima dica do nosso anfitrião Raphael, o irmão de Paulíssima, é The Observatory. O restaurante, que fica perto do aeroporto, é uma ótima opção para quem acabou de chegar na cidade. Cervejas locais, hambúrguer tradicional ou de cordeiro e um sensacional “Oregano Fry Bread” de entrada. Um pãozinho temperado e frito supersimples, mas que dá vontade de pedir várias porções e pular o prato principal de tão bom que é. Sem falar nas batatas doces fritas! Que apelação!

Lardo

Através do site Eater, que tem muitas outras opções para todos os gostos em Portland cheguei ao Lardo, que tem duas filiais na cidade. Fomos na da Hawthorne Blvd, um ambiente bem bonito, muito bem desenhado e super movimentado. Só vende sanduíche, mas é um melhor que o outro. Como estávamos num grupo grande, cada um escolheu um sabor diferente e ninguém se decepcionou.

lardo2

Comi um de peito de frango frio frito que estava incrivelmente bom, tanto pão quanto o recheio. Só não sei como eles fizeram para deixar frio e frito o frango! Aproveitei e matei minha curiosidade por uma cerveja Dogfish Head lá, fábrica que tinha reality show Brew Masters na tv a cabo, que por sinal era deliciosa.

kornblatts

Uma surpresa foi o Kornblatt’s, uma espécie de delicatessen judia na movimentada 23th Street. Apenas entramos porque tínhamos fome e nos deparamos com ótimos sanduíches de pastrami, um belo cheesecake e uma garçonete tão simpática que chegava a irritar. O lugar é bem tradicional e a clientela parece ser tão antiga quanto o lugar. Outra bizarrice: pedimos algo que parecia ser uma porção de picles, mas que acabou sendo um balde gigantesco de pepinos. Surreal!

marcosComo era minha primeira vez visitando o Uncle Sam não podia faltar um café da manhã de entupir as coronárias. O Marco’s Café serve o clássico breakfast americano, daquele do tipo que a garçonete vem encher o copinho de café toda hora. Muito cheio com gente de todo tipo, o lugar tem um teto cheio de guarda-chuvas abertos pendurados.  Não lembro exatamente o que pedi, mas foi isso aí da foto com muito bacon e cheddar. Explosão de sabores e calorias.

voodoo

Talvez o lugar mais famoso de comidas de Portland seja o Voodoo Doughnut, que está presente em praticamente todo guia da cidade. Anthony Bourdain foi lá, o carinha do Man versus food também. Tudo culpa das suas estranhíssimas combinações. Lá é possível comer donuts fritos, com maçã, com cereal matinal e até mesmo com bacon. Parada obrigatória para os aventureiros culinários. O Voodoo Doughnut faz parte da trindade hipster da cidade. Está na mesma esquina do famoso mural do Keep Portland Weird e do  Stumptown Coffee, outra instituição dos hipsters de Portland, qué é um tipo de cafeteria cool que é parada dos ciclistas da cidade.

O que eu deixei de comer mas queria ter comido? Os vários foodtrucks da cidade, que estão espalhados por boa parte do centro. Aqui tem um mapinha com eles. Também não deu para visitar o The Beast, da chef Naomi Pomeroy, participante de uma edição do Top Chef Masters, e também faltou ir no Le Pigeon, que é bastante conhecido e até mesmo apareceu num episódio de Portlandia. Também marquei bobeira e não conheci a Deschutes Brewery, cervejaria enorme que fica pertinho da Powell’s Books.

O que mais fazer além de comer?

23th Street: essa rua, a partir da Burnside Street é uma sucessão de lojas e negócios cool um atrás do outro. Cervejarias, lanchonetes, lojas e outros negócios locais.

downtownportland

Downtown: onde está a estátua de Portlandia, a prefeitura, o shopping Nordstrom e todas as lojas de grandes marcas que você imaginar. Menção honrosa para a Ross, com preços patéticos em algumas peças de roupa. Vale a pena garimpar!

jackpot

Hawthorne Blvd pela altura da 35th Street: um dos lugares que mais gostei da cidade. Lojas de discos como a Jackpot Records, livrarias e uma filial da Powells, brechós sensacionais com roupas ridiculamente baratas, inúmeros locais de comida e também uma filial do New Seasons, um supermercado natureba da região.

Orla do rio: vale a pena dar uma caminhada na beira do rio e atravessar uma das várias pontes a pé ou de bicicleta. Num dia de sol o cenário deve ser lindo. Pena que quando fui só chovia!

Powell’s Books: a terceira maior livraria do mundo, 5 andares, um quarteirão inteiro, tão grande que existem mapas e até um aplicativo de celular para você se encontrar lá dentro. Essa loja monstro fica na Burnside Street, mas existem outras filiais na cidade. Dá para passar muito tempo lá dentro, encontrando livros que você nunca imaginou que foram escritos. Preste atenção em alguns livros marcados como recomendação do staff, a maioria bem em conta.

portlandjardim2

Jardim Japonês: calma, tranquilidade, serenidade. Lindíssima paisagem, que também dá uma das melhores vistas de Portland. Está bem pertinho do Rose Test Garden, que no verão é um desbunde de beleza. Como fui no inverno as rosas estavam um poquinho murchas.

trailblazers1

Portland Trail Blazers no Rose Garden: vale muito a pena se agendar e ver um jogo da NBA no Rose Garden. O ginásio tem fácil acesso, uma estação do MAX (espécie de metrô) bem pertinho e os preços são bem em conta. Para quem está acostumado com jogo de futebol no Brasil é um verdadeiro choque. Ginásio enorme, com várias opções de comida, banheiros limpos. Um espetáculo na quadra e na estrutura. E tem mais. Se o Portland Trail Blazers passar dos 100 pontos, todo mundo no ginásio ganha grátis uma chalupa, um tipo de comida do Taco Bell.

Compras e mais compras!

Todo o estado do Oregon é uma região tax free. Ou seja, você não paga o imposto das compras, que varia em cada estado americano. Isso já é uma baita vantagem, mas outra melhor ainda é o Outlet Woodburn, nas imediações da cidade. Tem Nike, Adidas, All Star, Forever 21, Aeropostale, North Face, Quicksilver, Puma e muito mais. Veja no site oficial a lista de todas as lojas e o endereço correto. Uma verdadeira perdição! Vale a pena pegar a estrada para conhecer esse templo do consumismo desenfreado.

Curti demais Portland, desde sua estranheza, seus preços, a despreocupação das pessoas e principalmente a simpatia de todos. Nunca vi povo tão curioso e perguntador, mas sem desrespeitar o seu espaço. Não fiquei com vontade de voltar, mas sim de morar lá!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

21 comentários

  1. Brunno

    Na escolha do estado para fazer intercambio fiquei em duvida entre Nova York e Portland, BEM diferentes… Optei por estudar e morar em Portland porque me fascinei pela cidade e universidade e acabei escolhendo NY apenas para viajar e conhecer, acha uma boa escolha? Fiquei bem dividido entre essas duas cidades e não sei s fiz a escolha correta… Abraço e parabéns pelo texto

    • Túlio Bragança
      Author

      Inveja de vc por morar em Portland!!! Certamente lá vc tem qualidade de vida muito melhor e os custos sao menores. Em NY vc pode ter todo acesso ao mundo, mas moraria mal e pagaria muito em tudo.

  2. Juliana

    Estou me organizando para fazer um intercâmbio de 6 meses em Portland, alguma dica de escola de inglês e local para morar durante esse tempo?

    • Túlio Bragança
      Author

      Oi, Juliana! A cidade é demais. Infelizmente só visitei a cidade a turismo e não sei sobre escola de intercambio.

    • cristiano

      A cidade é excelente, tenho um amigo que estudou la por 4 meses e fui com mais 2 amigos visita-lo. É a cidade mais legal dos eua que eu fui. Vale a pena, boa escolha.

  3. Luisa

    Túlio Bragança, quanto tempo acha ideal passar em Portland??? Acha que vale a pena chegar em Salem, a capital??? Quanto tempo você passou em Portland??? Quero ir em janeiro com minha mãe…

    • Túlio Bragança
      Author

      Oi, Luisa! Que legal. AMO Portland. Já fui duas vezes lá, ficando uma vez 15 dias pois tenho parentes. Acho que com 5 dias você consegue ver bem tudo da cidade, uma semana seria melhor ainda. Sobre Salem eu não sei. É pequena e universitária, recomendo muito mais você aproveitar a proximidade e emendar uma visita a Seattle, que é incrível e não muito longe. Um abraço e curta MUITO lá!

  4. Fala Túlio ! Estou querendo fazer Norte da Califórnia + Portland + Seattle + Vancouver em 21 dias no mês de maio.
    Você fez somente Portland ? Qual mês ?
    Muito boas as suas dicas!

    • Túlio Bragança
      Author

      Valeu, Leonardo! Eu fui pra POrtland duas vezes, sempre no inverno. Não é a melhor época, mas foi quando pude ir. Numa dessas vezes dei um pulo em Seattle também, aqui o link http://airesbuenosblog.com/o-que-fazer-em-seattle/

      Baita viagem essa sua, hein! Vancouver não conheço mas está na lista. Gosto muito da costa oeste! Abração

  5. Valeu mesmo este artigo, moro em Portland já a muitos anos mudei para Pasadena, CA, por 2 1/2 e voltei a Portland, Oregon! Amo está cidade e região, clima excelente! Tipo Curitiba, Pr.

    • Túlio Bragança
      Author

      Oi, Patricia! Q legal. Fui lá já duas vezes e é uma cidade linda demais. Eu leio muito o jornal The Oregonian, que é de lá para me informar

Curtiu? Comente aí!