Viagem para Santiago do Chile

A dica do leitor de hoje é uma pouco diferente. Isso porque vamos ler o relato de uma viagem para o Chile. A Kika compartilhou conosco um pouco do que aprendeu com essa viagem meio que às pressas para esse país vizinho. Como tem muito turista que resolve emendar a viagem para Buenos Aires em uma viagem para Santiago, resolvemos colocar aqui para inspirar vocês!

Viagem para Santiago do Chile – Dica do leitor

dica_do_leitor_2

Essa não foi uma viagem bem planejada, pois na verdade o destino desse ano era Peru. Mas o dólar aumentou e os planos mudaram, e era preciso escolher um novo destino. E então pensei, Santiago? Por que não?

Vamos começar com os “porquês não”. A realidade é que pouco se fala de Santiago, então é difícil até saber o melhor lugar para se hospedar. Outra coisa é que até um tempo atrás, para se ir ao Chile só tinham duas empresas, que no fundo eram uma só, e as passagens caríssimas. E para finalizar, quem viveu um tempo na Argentina, sabe que existe um preconceito com o Chile.

Mas aí, você vai pra Santiago e o que acontece? Ela te dá um mega tapa com luva de pelica! Santiago não é nada parecido com Buenos Aires ou Montevidéu, mas precisa ser visitada.

Já que minha viagem não foi só para desbravar Santiago, mas também para descansar, vou trocar o roteiro por dicas de viagem, ok?

dica_do_leitor_3

Hospedagem

Assim que mudei a viagem, a primeira coisa que fiz foi reservar o hotel. Eu faço tudo pelo Booking e no caso, pesquisando achei que valia mais a pena alugar um apartamento. O bairro que me recomendaram foi o de Providência, feito isso a minha primeira escolha foi em um lugar perto da estação Manuel Montt. Mas depois pesquisei melhor, pois queria ficar perto do shopping Costanera e mudei para um apartamento, entre as estações Pedro de Valdivia e Los Leones.

Minha hospedagem foi no Studio Suite e a localização é incrível, tinha tudo por perto, inclusive as casas de câmbio. O apartamento fica na rua Diego de Velasquez e não só o meu prédio, como os dois da frente trabalham com o esquema de alugar apartamentos para viajantes e também moradias. Então super recomendo essa localização.

Como chegar

Agora várias empresas fazem voos para Santiago. Inclusive a Sky airline e já adianto: a passagem barata, a refeição completa e os 32kg não mais me convencem a viajar nessa companhia. O avião da ida estava caindo aos pedaços literalmente!

Os pilotos aparentam ser bem experientes, afinal ficamos uma hora no aeroporto pois eles decidiram mudar de rota para não enfrentarmos tanta turbulência (pois uma coisa é fato, haverá turbulência na passagem das Cordilheiras), só que o preço por isso foi uma decolagem bem bizarra (achei que não ia subir) e quando fui no banheiro me acalmar, partes do banheiro caíram na minha mão. A volta foi melhor, mas mesmo assim, não viajo mais com eles.

Saindo do Aeroporto, você pode pegar um táxi para o Centro (para Providencia fica em torno de 35000 pesos), contratar um transfer daqui mesmo ou fazer o que eu fiz, pegue o ônibus da Turbus (1600 pesos). Eu desci na estação Pajaritos e peguei a linha vermelha até Pedro de Valdivia, fui meio besta porque podia ter pego o Centropuerto (1500 pesos) e ter descido em Los Heroes, e asso, conhecer mais a cidade.

O que fazer

Ao chegar no Aeroporto, você já consegue um mapa de Santiago e o folheto da Turistik, essa é a principal empresa de turismo e sabe o que fiz com eles? Nada.

Sério, achei tudo muito caro e fora que tem várias reclamações deles. Em Santiago, se você não tiver preguiça de andar, pode-se fazer muita coisa. As atrações estão no mapa, elas são relativamente perto, mas espaçadas. Eu por exemplo, no primeiro dia passei pelo Cerro de Santa Lucia e nem percebi e tive que voltar depois (como se fosse um problema).

Dica amiga: se perca em Santiago e assim você vai descobrir vários lugares. Não tenha medo de usar o mapa de papel, ele será seu melhor amigo e não precisa ficar usando seu 3G com mapa da Google. O metrô é fácil de usar, mas eles têm três tarifas e os valores dependem do horário. Já os ônibus, achei muito complicado usar porque você precisa do cartão (única forma de pagamento).

dica_do_leitor_5

Aproveite os passeios gratuitos, porque os museus de Santiago são bem carinhos e como não era minha prioridade, acabei não indo. Mas se essa for sua vontade, de domingo a maioria é gratuita (a Casa do Neruda não, pois é particular, e o précolombino, traz informações desencontradas). Vá ao povoado de Los Dominicos, mas se quiser comprar arte Mapucha recomendaram o centro de artes que há na frente do Cerro Santa Lucia (não o do Cerro, que é bem carinho).

Só uma dica: para entrar no Palácio de La Moneda é necessário um cadastro prévio no site do governo e precisa ser antecipado, eu não sabia disso e acabei não indo. Sem contar que em Santiago estava tendo uma série de protestos e nunca é legal ficar no meio deles.

dica_do_leitor_6

O Cerro San Cristobal é bem bacana, dá para ver Santiago inteirinha (mas a Cordilheira é mais bonita no Santa Lucia), só que se estiver chovendo ou com cara de chuva o funicular não funciona, o que é um problema. Eu fui só até o mirante, mas lá tem um parque e o Zoo para quem quiser um passeio em família.

Um adendo para o Mercado Central: fuja, é sério! O lugar nada mais é que um misto de mercado de peixe e restaurante pega turista. Pensa num lugar cheirando a peixe, com aquela água de limpar banca de peixe por todos os lados e hostess dos restaurantes querendo te pegar de qualquer jeito, para vender uma Centolla por 350 reais (a pequena). Quer comer centolla? Pegue uma empanada que custa 15 reais (mas já aviso: na hora que você pedir isso eles começam a te tratar meio mal, afinal você não está deixando as calças lá) e fique só observando.

Uma dica: atravesse o rio e vá para a Feira de Frutas e compre morangos gigantes por 5 reais o quilo.
Sobre as vinícolas, escolhi a Concha y Toro e o motivo: podia chegar de metrô. Sim, a vinícola fica na área metropolitana, você desce na Estação Las Mercedes e pega um táxi (3000 pesos) até a vinícola. Você pode escolher dois tours e é necessário fazer a reserva antes. Olha, até eu que não curto vinho, aproveitei muito o tour e ainda ganhei uma taça. Obs: no inverno as parreiras estão podadas, pode ser frustrante, mas mesmo assim vale a ida.

Valle Nevado: não fui, porque não achei vantagem. Mas você pode ir com a Turistik (você paga o passeio e o aluguel das roupas) ou táxi ( sai mais ou menos 50000 pesos por pessoa). Perto do Cerro San Cristobal, tem várias agências pequenas que também oferecem esses serviços e descontos no aluguel das roupas. Mas se você quiser também pode procurar as lojas de segunda mão da Calle Bandera, comprar as roupas e depois revender nessas mesmas lojas (é o que a maioria dos locais recomenda).

Valparaiso e Viña del Mar: você pode ir por conta. Na estação Pajarito existem várias empresas que fazem o trajeto para essas cidades, sai bem mais barato e você pode ficar o tempo que quiser. Mas se escolher a Turistik, você faz essas duas cidades em 1 dia.

dica_do_leitor_4

Comes e Bebes

Quem disse que não fiz turismo cultural? Fiz sim, afinal comida também diz muito sobre a cultura de um país. Comida no Chile é barata (se você não for nos lugares para turistas, claro), os executivos no centro custam em média 17 reais e vem com pão, entrada, comida, bebida e sobremesa. Na Calle Monjitas, na saída do metrô Bellas Artes, comemos num restaurante superfofo, todo decorado com fotos do Elvis. Eles ficaram superfelizes em nos receber, pois o restaurante é mais frequentado por locais, e sério, o que era o tamanho do salmão que minha mãe comeu?

Santiago tem uma particularidade, eles gostam de por abacate e chucrute em quase tudo. Sério, o abacate eu até entendo, mas o chucrute?

E é uma fixação por comida “alemã”, coloco entre aspas porque é uma comida alemã que só eles conhecem. Tem até um restaurante superfamoso chamado Fuente Alemana, mas eu fui no perto da Plaza Italia e fui tão mal tratada que acabei saindo, fora que achei caro.

Mas lá até fast food vale a pena e até os nomes são um caso a parte (Pedro, Juan & Diego… Tem nome melhor que esse?). Comam cachorro quente com palta, pastel de choclo, salmão, lomitos, amendoas confeitadas, empanada de pino (cuidado com o Menkel), enfim, se joguem!

Outra particularidade de lá é que você vai encontrar muitos, mas muitos restaurantes peruanos, é uma loucura.

Bebidas são um caso a parte, os vinhos são absurdamente baratos (Gato Preto 1,5L por nove reais) e tem mil refrigerantes diferentes. Experimente o Jote (vinho com coca cola) e o Mote com huesillos (suco de pêssego desidratado com grãos de trigo).

E se você for viajar como eu (alugando apartamento com cozinha) dica: os supermercados tem vários produtos de preparo rápido e vale a pena experimentar.

dica_do_leitor_7

Compras

Um caso à parte: cheguei dia 9 de julho e estavam começando as liquidações e, não satisfeitos, de quintas algumas lojas fazem liquidação da liquidação. Então imagina como estavam as lojas e como elas ficam na sexta. Mas vale muito à pena, eu comprei apenas quatro botas. Sem contar que você pode facilmente comprar um casaco de pena de ganso (ou a versão sintética, na maioria das vezes) por 100 reais, além de roupas de frio.

No Costanera Center, o maior shopping da América do Sul, você pode perder facilmente o dia por lá. A Paris e a Falabella têm mini lojas e fora do shopping você encontra essas lojas em tamanho normal. Forever, Topshop, Lush, H&M, Isadora, Acessorizze, Victoria Secrets, Limonada e até Via Uno.. É o que você pode encontrar por lá. Dica: no segundo andar tem um balcão onde você leva seu passaporte e ganha um cartão de desconto.

Saindo do Shopping, tem as lojas locais e vale muito a pena visitar, o centro da cidade para mim é o lugar ideal, nada melhor que o Paseo de Ahumada. Existem as lojas de rede (Paris, Falabella, Hites, Trico, etc), as lojas locais e as de segunda mão (Calle Bandera). E vocês precisam entender que isso no Chile não é coisa boba, é profissional.

As lojas de segunda mão são verdadeiras redes, os nomes principais são Cero 90, Orange e Blue, Nostalgia, Bow, e fora as independentes. Você pode encontrar de tudo lá, coisas boas e ruins, roupas de frio, sapatos… Uma dessas lojas salvou minha mãe, ela estava com muito frio e entrou numa Cero 90 (a mais barata e a que mais gostei) e já saiu com um casaco. Lá também comprei uma blusa xadrez jaqueta, é tão diferente e bacana que virou presente do namorado.

Farmácias, são um caso a parte. Você vai encontrar muita coisa barata e várias promoções bacanas em produtos que possuem os mesmos preços que aqui, mas que com os descontos viram pechinchas. Neutrogena, Garnier, Vichy, Rimmel, John Frieda, Herbal Essences são parte das marcas que valem a pena, eu trouxe vários desodorantes Lady Speed Stick por quatro reais.

Mas o que me encantou no Chile foram as papelarias. Como dou aula de Espanhol, comprei vários livrinhos de criança, sem contar os de alfabetização. Vale a visita, tem muita coisa diferente por conta de como é o ensino no Chile. E se você tiver crianças pode encontrar várias coisas diferentes e nem precisa ser em espanhol.

Já os livros normais são caríssimos, e segundo amigos locais a culpa é a mesma que no Brasil: impostos.

Obs.: a maioria das lojas funciona das 10h as 20h, mas os câmbios fecham às 17h (ou até antes).

dica_do_leitor_8

O que levar na mala

Sério, se você quiser, leve o básico e o resto compre lá, isso se você for em julho. O casaco de plumas é a melhor coisa do mundo, ele é compacto e segura o frio. E sério, nossos casacos não foram feitos para o frio deles, eu levei um e acabou servindo só para a viagem de avião. Cachecol e coisas de frio comprei tudo por lá mesmo (na liquidação paguei dez reais nos cachecóis e gorros) e até roupa térmica você pode deixar para comprar lá (comprei uma meia que parece que tem um urso de pelúcia dentro e paguei 15 reais). E outra coisa que ajuda muito são as camisas de flanela, e lá tem a rodo. Nunca fiz uma mala tão compacta para um lugar tão frio.

Acho que por enquanto é só. Percam o preconceito e conheçam Santiago. Eu com certeza voltarei (mas com outra companhia aérea).

dica_do_leitor_1

Suas dicas foram ótimas, Kika! Eu pelo menos fiquei com uma vontade imensa de conhecer Santiago. E você, está com uns dias de férias a mais e pode aumentar um pouco o passeio pela América do Sul? Incluir um passeio por Santiago no seu roteiro por mesmo ser uma ótima ideia, não acha?

Se você procura por dicas de viagem por Buenos Aires, visite a categoria DICA DO LEITOR.

E se você já visitou a capital portenha, chegou a sua vez de compartilhar a sua experiência. Saiba que o seu relato pode ajudar muitos turistas! Então é só escrever para airesbuenosblog@gmail.com junto com algumas fotos.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

5 comentários

  1. Kika valeu, preciosíssimo relato, porque estou indo pra lá dia 25 e consegui dicas incríveis aqui ,pra somar às outras que venho pegando já. Mas aqui li coisas que não tinha lido em lugar algum, inclusive blogs especializados em Santiago.
    Aires Buenos como sempre arrasando, dentro e fora de BUE.

  2. Marcello Negreiros

    Super útil, até recomendo abrir um espacinho para dicas de Santiago. Minhas proximas férias quero conhecer.

  3. Uallll que lindo. Ainda não li muito a respeito do Chile, mas o pouco que tenho conhecimento sobre ele acredito que seja um país deslumbrante.
    Ótimas dicas, obrigada pelo post.

Curtiu? Comente aí!