Milagreros, Mauricio Toro Goya

Buenos Aires respira fotografia em agosto e setembro

Há anos ouço falar do Encuentros Abiertos/Festival de la Luz, o grandioso festival internacional de fotografia que acontece a cada dois anos em Buenos Aires.

Na última semana, recebemos aqui em casa três fotógrafos de Curitiba inscritos no evento e aproveitei para pegar com eles algumas dicas de exposições imperdíveis. Algumas eu já fui conferir, mas ainda faltam muitas. A boa notícia é que várias delas ficam abertas para visitação até o final de setembro de 2016.

Para quem gosta de fotografia, é uma oportunidade maravilhosa para ver o trabalho de artistas do mundo todo, dos mestres da velha guarda aos contemporâneos. De quebra, você ainda conhece um monte de museus, galerias e salas de exposição espalhados pela capital portenha.

Buenos Aires respira fotografia em agosto e setembro

Museo Nacional de Bellas Artes

Festival de la Luz

“Ninguém é de ninguém”, obra de Rogério Reis

Se você passar pelo Museo Nacional de Bellas Artes entre agosto e setembro, não deixe de ver a exposição do brasileiro Rogerio Reis, “Ninguém é de ninguém” (Nadie es de nadie), na sala 40, primeiro andar. Já no andar de cima está exposto o trabalho “Maestros: El bosque y el arbol”, da argentina Gaby Messina.

Av del Libertador 1473 – Terça a sexta das 11h30 às 19h30, Sábados e Domingos das 9h30 às 19h30. Entrada franca.

Centro Cultural de la Memoria Haroldo Conti

Festival de la luz

“El norte argentino”, de Marcos Zimmermann

Dá até um arrepio entrar nesta que foi a antiga sede da ESMA, um dos principais centros clandestinos de tortura da ditadura militar argentina. Mas nestas paredes que antes ocultavam, agora é possível ver os trabalhos fotográficos “Desaparecidos?”, do mexicano Pablo Ortiz Monasterio, “Eternamente Efímero”, da catalã Marta Bosquet, “El norte argentino”, de Marcos Zimmermann, entre vários outros. Na sala 1, de 11 a 18 de setembro, também acontece um ciclo de projeções.

Av del Libertador 8151 – Segunda a Domingo das 11h às 21h. Entrada franca.

Museo de Arte Hispanoamericano Isaac Fernández Blanco

Festival de la luz

“Viaje por América”, de Werner Bischof

Incrustado em uma ladeira do bairro de Retiro, num casarão neocolonial que foi o primeiro museu privado da Argentina, só o edifício já é uma joia. Mas a exposição “100 Años: viaje por América”, de Werner Bischof, é também um dos pontos altos do Festival de la Luz. São 50 imagens em preto e branco produzidas pelo fotógrafo suíço no primeiro semestre de 1954, durante sua passagem pelo México, Panamá e Peru, antes de morrer em um acidente de automóvel aos 37 anos. A exposição foi organizada pelo centenário do seu nascimento e fica em cartaz até 2 de outubro de 2016.

Suipacha 1422- Terça a sexta das 13h às 18 h. Sábado e domingo das 11h às 17h. Entrada: $10 pesos.

Galería Arcimboldo
Ainda não pude ir, mas soube que está belíssima a exposição “Sertão Cerrado”, do brasileiro José Diniz, e a “Papel Añejo”, do argentino Eduardo Longoni. O horário de visitação dessa galeria é bem restrito, então não se enrole muito. Segue até 26 de agosto.

Reconquista, 761 PA 14. Segunda a sexta das 16h às 19h.

El Cultural San Martín

Festival de la luz

Trabalho do coreano Hosang Park

O Centro Cultural San Martín é um complexo gigantesco que ocupa quase uma quadra inteira no centrão de Buenos Aires. Há muitas atividades do Festival de la Luz acontecendo aí simultaneamente, incluindo o trabalho (lindíssimo!) “Una plaza”, do coreano Hosang Park, “Tempo morto”, do brasileiro Marcelo Costa, “Milagreros”, do chileno Mauricio Toro Goya, e a mostra coletiva “Huellas de irrealidad”, entre outros. Na sala E acontecem ainda algumas projeções fotográficas até o dia 29/08.

Sarmiento 1551 – Segunda a Domingo das 11h às 21h. Entrada franca.

Sala Roma, Instituto Italiano de Cultura
Três fotógrafas argentinas, Graciana Piaggio, Silvia Macario e Lorena Sanvitale, apresentam o trabalho coletivo Miradas Ilusorias. Pode ser visitada até 31 de agosto.

Marcelo T. de Alvear, 1119. De segunda a quinta das 10h às 13h e das 14h às 16h30. Sexta das 10h às 13h.

Casa de las Culturas – Villa Carmen (Tigre)

Festival de la luz

María Elena Walsh em retrato de Sara Facio

Quem tiver tempo e disposição para tormar o trem até Tigre, ao norte da capital, poderá ver a exposição “De brujos y hechiceras”, série de retratos de personagens importantes da história e da cultura argentina clicados por Sara Facio, uma das fotógrafas mais importantes de todos os tempos do país. Até 30 de setembro.

Bartolomé Mitre, 360, Tigre – De terça a sexta das 10h às 18h, sábados e domingos das 13h às 18h.

Para ver a programação completa do Encuentros Abiertos/Festival de la Luz, dá uma olhada no site do evento.

Foto em destaque: “Milagreros”, do chileno Mauricio Toro Goya.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *